Marcos Sassungo, escritor angolano, é estudante de Engenharia do Petróleo na Universidade Federal do Norte de Cáucaso, na Rússia. Apaixonado pela escrita e pelo cinema, escreve poesia e questiona a vida por palavras.

Publicado em 1959, Aparição, de Vergílio Ferreira, é uma das obras mais emblemáticas do romance português do século XX. O livro que “fez brotar em mim constelações de uma semente poética a margem de um mundo externo a literatura” conta-nos Marcos Sassungo.

O escritor angolano, durante dois anos tem vindo a preparar a sua primeira obra, “Um Julgamento de  Contos de Fadas a Colarinho Branco” e um trailer com o mesmo titulo, que nasceu da vontade de mostrar o amor que sente pela literatura e homenagear a obra de Vergílio Ferreira.

Para Marcos, a escrita é uma peça que nem sempre é fácil de ser esculpida, tendo em conta as várias problemáticas sociais, culturais e espirituais. O fenómeno da vida é muitas vezes questionável, o que dá a Marcos ferramentas para trabalhar e salienta que “é quase que impossível um poeta se calar ante o vislúmbre sombrio da filosofia humana. Quem sou eu? De onde venho? E para onde vou?”.

E o seu livro, aborda temas que burbulham a consciência do ser humano, e o antropocentrismo camuflado no eu do existencialismo. O lançamento do livro será na cidade de Stavropol, na Rússia, ainda sem data.