A Netflix e Amazon Prime têm visto um crescimento notório de serviços de streaming nos últimos anos. Ainda que este tipo de serviços possa ser do agrado dos respetivos subscritores, realizadores como Steven Spielberg parecem ter uma opinião contrária.

Só em 2017, a Netflix e a Amazon contaram com dez nomeações para os Óscares, com a Amazon a ver o filme Manchester by the Sea nomeado para seis estatuetas, entre elas Melhor Filme, Melhor Realizador (Kenneth Lonergan) e Melhor Ator Principal (Casey Affleck). Ao todo, a Amazon acabou por levar para casa três Óscares e a Netflix um.

Durante a apresentação do seu novo filme, Ready Player One: Jogador 1, que tem data de estreia prevista para 29 de março, o realizador declarou em entrevista à ITV News que “cada vez menos cineastas vão lutar para arrecadar dinheiro, ou para competir no festival Sundance para tentar conseguir uma distribuidora especializada para lançar os filmes nos cinemas e cada vez mais eles vão deixar serviços de streaming financiarem os filmes, talvez com uma promessa de uma breve janela de lançamento de uma semana nos cinemas para que eles se qualifiquem a prémios. Na verdade, quando se faz em um formato para a televisão, ele vira um filme para TV. Eles merecem um Emmy, mas não um Óscar”.