A Apple contratou o chefe de pesquisa e inteligência artificial (I.A.) do Google, John Giannandrea, um grande golpe para tentar chegar ao nível da concorrência no que respeita ao desenvolvimento de inteligência artificial.

A empresa informou que Giannandrea administrará o “máquina em aprendizagem” da Apple e Estratégia I.A., e vai se tornar num dos 16 executivos que reportam diretamente ao presidente-executivo da Apple, Timothy D. Cook.

LER+: “TERRA SANTA” QUER EXPULSAR 40 MIL REFUGIADOS AFRICANOS

A contratação é uma vitória para a Apple, que muitos executivos e analistas de Silicon Valley consideram ainda estar muito atrasada no que respeita à inteligência artificial, uma tecnologia cada vez mais crucial para empresas que permitem que computadores lidem com tarefas mais complexas, como entender comandos de voz ou identificar pessoas em imagens.

“A nossa tecnologia deve ser infundida com os valores que todos nós prezamos”, disse Cook num e-mail para os seus funcionários, citado pelo The New York Times. “John partilha o nosso compromisso com a privacidade e a nossa abordagem ponderada à medida que tornamos os computadores ainda mais inteligentes e mais pessoais”.

Embora a Apple tenha se tornado a empresa de capital aberto mais valiosa do mundo, muitos no setor de tecnologia consideram a assistente digital do iPhone, a Siri, menos eficaz do que as suas rivais no Google e na Amazon.