A BANTUMEN esteve pela cidade da Luderitz, na Namíbia. Um país único, com atrações incríveis e paisagens surreais.

Ao chegar à cidade, de imediato senti-mo-nos em casa de tão bem recebidos que somos.

Luderitz é um destino curioso, que vai além dos conhecidos desertos e safáris da região. Rodeada de edifícios coloniais coloridos, memoriais, museus, monumentos e comércios com mais de 100 anos de idade, a apenas dez quilómetros do porto temos Kolmanskop, conhecida como a “cidade fantasma da Namíbia”. Em pleno deserto, foi abandonada em meados de 1950 quando a mineração se esgotou. Congeladas no tempo, as construções ganharam um ar fantasmagórico, enquanto outras se encheram de areia, atraindo olhares de fotógrafos e viajantes.


Luderitz revela que a influência germânica é fortíssima na região. Os pequenos edifícios seguem a arquitetura do país europeu e os tons pastéis nos remetem a décadas passadas. Um passeio rápido permite conhecer toda a cidade, que se dedica à pesca e exploração de diamantes.

POVO

O povo namibiano dividem-se pelos povos Bantu, Ovambo, Hereró, Khoisan, assim como de influências europeias, principalmente alemãs. A cultura e tradições do povo namibiano ainda está fortemente enraizada, continuando a ter rituais seculares.

CLIMA

A melhor altura para visitar a Namíbia é entre os meses de maio e outubro, meses da estação fresca.

O clima na Namíbia é semi-desértico, quente durante o dia, contrastando com o frio à noite. Existem duas estações de chuva, uma menos intensa, entre os meses de outubro e dezembro, sendo a outra mais intensa, que compreende os meses entre janeiro e abril.

A GASTRONOMIA

Quando pensamos na gastronomia a experiência será de excelência com renomados restaurantes e ambientes incríveis.

A forte influência da colonização alemã, o grande número de angolanos (com a tradicional culinária portuguesa) que vivem na cidade e o alto índice de visitantes europeus dá aos pratos locais contornos muito conhecidos pelos brasileiros. Sabores mais tradicionais ficam dispersos em pratos típicos de diferentes tribos e dificilmente são encontrados nos restaurantes locais, como o Potjiekos (uma espécie de ensopado de carne com legumes bem temperado) e o braaivleis (um churrasco de carnes bem parecido com o brasileiro e facilmente encontrado em katutura, periferia de Windhoek).