Enock é um rapper angolano que já provou o sabor do sucesso de alguns hits, em 2014, com “Banzelo”, que tem a participação de Ready Neutro e, em 2017, com “Dezembro na Banda”. Embora o rapper só tenha dado início à sua carreira há cinco anos, já pega nos microfones há quase 13 anos.

“Toté” tem nova sonoridade, fala menos de “garrafas” e dá primazia às experiências de vida, negócios, derrotas e vitórias”, explica Enock.

O rapper descreve a faixa como “guia” do álbum O Depoimento, que sairá provavelmente no mês de outubro, em formato físico e digital. Além disso, há ainda na calha um documentário, Longe de Casa, onde pretende expor tudo o que tem acontecido na sua vida pessoal e artística dentro o game, como: “Abrir mão de viver em Miami, para seguir o meu sonho no meu país, descobrindo o melhor de si”.

Questionado sobre os apoios que tem tido, Enock riu e diz que “caminha de forma independente”, explicando que: “a diferença é que nunca quis escrever a minha história por trás da sombra de algum outro homem senão o meu pai.”