A Cidade Velha, único sítio classificado como Património da Humanidade da UNESCO em Cabo Verde, está, desde 18 de abril, inscrita no projeto Open Heritage, um arquivo digital do património histórico mundial, segundo informação divulgada pelo Governo do país.

A inscrição no projeto Open Heritage, juntamente com outros 26 monumentos em todo o mundo, ocorreu por ocasião do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, celebrado a 18 de abril, podendo, a partir de agora, a história da “cidade-berço” cabo-verdiana ser conhecida, em 3D, através da plataforma da CyArk do Google ou descarregada para dispositivos móveis e computadores.

Segundo nota do Governo de Cabo Verde, a recolha das fotografias da Cidade Velha foi iniciada em março de 2015, pela CyArk, em parceria com o African Heritage Fund.

Foram recolhidas imagens da Catedral da Cidade Velha (Sé), da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, do Forte Real de São Filipe e da Praça do Pelourinho.

“Quatro monumentos de extrema importância na edificação da Cidade Velha, da história do povo cabo-verdiano. Estes monumentos preservam a memória do nascimento e da construção do país, marcada pelo seu processo de desenvolvimento”, adianta a nota.

O objetivo do projeto Open Heritage, gerido pela CyArk, é criar um arquivo digital do património mundial que permita a melhor conservação do património.

“A inscrição nesta lista é um reconhecimento da universalização e visibilidade para Cidade Velha e para todo o percurso da nação”, prossegue a nota.

Cidade Velha foi a primeira cidade construída pelos europeus, tornando-se na primeira capital do arquipélago, título que manteve até 1770, quando a capital do país passou a ser a Praia de Santa Maria, atual cidade da Praia.

O sítio histórico foi erigido no século XV para servir de ponto de abastecimento para o comércio de escravos entre África e América.

Em 2009, foi classificada como Património Mundial da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Ciência, Educação e Cultura (UNESCO).

A CyArk é uma organização sem fins lucrativos fundada em 2003 para registar digitalmente, arquivar e compartilhar a herança cultural e histórica mundial, tendo já documentado mais de 200 monumentos históricos nos sete continentes.