Muitas vezes restringido pelo conteúdo potencialmente ofensivo na sua plataforma, o YouTube decidiu tomar uma atitude e o assunto está em evidência num dos seus recentes relatórios. De acordo com essa avaliação do último trimestre de 2017, o YouTube removeu nada menos que oito milhões de vídeos, com conteúdo m spam ou pornográfico, em três meses. A maior parte deste conteúdo foi apagado automaticamente, sem sequer obter uma única visualização.

Satisfeita com esse progresso, a empresa está ciente da magnitude da tarefa que ainda precisa ser feita, particularmente na exibição de conteúdo ofensivo de publicidade. Até agora foi mobilizada uma equipa de pessoas para verificar as descobertas automáticas de mais 1,6 milhão de vídeos que foram removidos já depois de terem sido visualizados e devidamente denunciados pelos utilizadores.

“Eles ainda têm muito trabalho a fazer, mas devem ser elogiados”, disse Paul Barrett, que seguiu o YouTube como vice-diretor do Centro Stern de Negócios e Direitos Humanos da Universidade de Nova Iorque.