Jan Koum, diretor executivo e co-fundador do WhatsApp, confirmou através de um post no Facebook que vai deixar a empresa. Koum criou o WhatsApp juntamente com Brian Acton, em 2009, e vendeu-a à empresa de Mark Zuckerberg por 19 mil milhões de USD, em 2014. Brian também deixou o WhatsApp, no ano passado, e é agora um dos investidores mais significativos do concorrente Signal.

“Há quase uma década que eu e o Brian começámos o WhatsApp e foi uma jornada incrível, mas é hora de seguir em frente”, disse Koum, no post. “Estou a deixar a empresa num momento em que as pessoas estão a usar o WhatsApp de uma forma que eu [na altura] nem poderia imaginar”, continuou.

Já era do conhecimento público o desacordo de Koum sobre algumas directivas do Facebook, como a questão da proteção de dados. Um dos motivos que podem ter estado na base do despedimento do empresário podem estar ligados à má conduta de empresas como a Cambridge Analytica, que utilizou os dados dos utilizadores da rede social para influenciar as últimas eleições norte-americanas.

Aquando da aquisição da aplicação de mensagens pelo Facebook, a app requeria apenas o número de telemóvel de quem a quisesse utilizar e a equipa de Zuckerberg garantiu que lhes concederia a independencia total. Meses depois, o cenário alterou-se por completo e a utilização do Whatsapp para recolha de dados dos internautas deve estar na base do conflito.

Koum já acumulou um fortuna de 10,4 mil milhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index. Só em acções do Facebook, o empresário já vendeu 8 mil milhões de USD desde 2015, segundo a mesma fonte.