Estudantes de Arquitetura da Somália estão a “reconstruir” o património do país

Somália

O que começou por ser uma plataforma para partilhar imagens da Somália pré-guerra evoluiu para um projeto de pesquisa, que reproduz os edifícios digitalmente em 3D.

Uma das primeiras imagens que define o “Corno de Ouro” de África, a destruição que assolou o país durante a guerra civil. Enquanto o confronto ía diminuindo de intensidade, a luta fracional continuava, o que deixou pouca esperança para a estabilidade.

A Al-Jazeera descreve a história moderna da Somália como “um conto de independência, prosperidade e democracia durante a década de 1960, passando a um período de ditadura militar entre 1970 e 1980, seguido pela guerra civil que deu lugar ao caos desde então”.

Os eventos ao longo da história do país resultaram no deslocamento de mais de um milhão de refugiados somalis. Mas, o pós-guerra deu lugar a uma nova juventude inspirada e esperançosa de dar ao país a chave da mudança.

Vários estudantes de Arquitetura, que se formaram nos EUA, Reino Unido e Itália, decidiram criar uma plataforma de partilha de imagens anteriores à guerra e que se transformou numa plataforma de pesquisa que reproduz os edifícios digitalmente em 3D.

O projeto procura preservar a rica história do país e a equipa acredita que “é através da compreensão da história que se pode alcançar a modernidade consciente”.

Até agora, a equipa restaurou digitalmente a Assembleia Nacional de Mogadishu, o Teatro Nacional e os antigos edifícios do Parlamento, bem como instituições religiosas como Masaajidk Ishahaysiga (a Mesquita e Solidariedade Islâmica) e a Igreja Católica Romana, entre outras.

Para ver os projetos, visita o site da Arquitetura da Somália.