A 16 de Maio de 1983, Michael Jackson subia ao palco do programa especial de celebração dos 25 da produtora Motown, com o nome “Motown 25: Yesterday, Today, Forever”. Nesse dia, Michael escrevia uma nova página na história da cultura pop.

O objetivo da produtora era exibir os seus maiores sucesso e inicialmente tinha proibido os artistas de atuarem com novas músicas. Mas Michael Jackson queria participar com “Billie Jean”. Don Mischer, produtor e director, disse a uma entrevista do Yahoo: “Se deixássemos Michael tocar uma nova música, quem ia atender o telefonema de Marvin Gaye na segunda-feira a dizer ‘Por que deixaste o Michael atuar com uma nova música e eu não?'”.

Para aqueles que em 1983 ainda não eram nascidos ou que simplesmente não se lembram da performance, o moonwalk de Jackson foi surpreendentemente breve: durou apenas dois segundos e meio. Houve alguns gritos de aprovação dos fãs na plateia, mas esse momento em si não foi o momento alto do evento. Anos mais tarde é que evoluiu para o grande passo de dança que é hoje.

Embora Jackson tenha lançado o moonwalk para a fama, não foi ele quem o inventou.

A Rolling Stone escreve que James Brown esteve por trás do moonwalking anos antes do tributo da Motown, mas as origens da dança são mais antigas ainda. Jackson pode ter aprendido o movimento com o dançarino dos anos 80 Jeffrey Daniel, membro do trio de soul Shalamar.

LaToya Jackson admitiu ao Yahoo que seu irmão aprendeu a dança com um dançarino de “Soul Train”. Na época, a dança era conhecida como backslide.