De 2015 a 2024 assinala-se a Década Internacional dos Afrodescendentes, proclamada pelas Nações Unidas. Nessa senda, para celebrar a excelência negra no mundo inteiro, a Most Influential People of African Descent (Os Afrodescentes Mais Influentes) destaca grandes empreendedores afrodescendentes de todo o mundo que se têm afirmado como  atores relevantes em diversas áreas dentro e fora do continente.

A lusofonia está obviamente presente na lista de 100 personalidades escolhidas pela organização Most Influential People of African Descent. Ao todo, entre Angola, Moçambique, Cabo Verde e Brasil são noves os nomes a constar na lista.

De Angola, Ivanilson Machado, CEO da Puma Energy, e Adão Almeida, ministro da Administração do Território e da Reforma do Estado. De Cabo Verde foi distinguido Pedro Lopes, secretário de Estado para a Inovação e Formação Profissional, e um dos mentores do Tedx Praia, e Nereida Lobo, Miss USA-Africa 2016-17. De Moçambique foi nomeada a economista e coach Tânia Tomé, CEO do grupo Ecokaya. Armando Cabral, modelo internacional, representa a Guiné-Bissau e Portugal. Do Brasil são provenientes três personalidades: o ator Erico Bras, a militante feminista e filósofa Djamila Ribeiro e o rapper e ativista Emicida.

Imagem : MIPAD)

Na última edição do Most Influential People of African Descent, Taís Araújo e Lázaro Ramos foram igualmente distinguidos além de terem participado da gala anual da organização, em Nova Iorque. A atriz foi também uma das anfitriãs.