Tabanka Djaz

RiR: Tabanka Djaz passearam-se entre o velho e o novo no festival do Rock

Se desta vez o Rock in Rio decidiu criar uma zona exclusiva à música africana (não, não estamos a falar de kizomba), o que seria desse palco sem Tabanka Djaz? O grupo guineense é sem dúvida um dos mais emblemáticos dentro dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa.

Foto: BANTUMEN / Miguel Roque

Às 17 horas deste sábado, Micas Cabral, Jânio Barbosa, Juvenal Cabral e Mimito Lopes subiram ao palco da Rock Street para uma passeio entre Indimigo, de 1993, e Depois do Silêncio, de 2013, e que é o último trabalho discográfico do grupo.

Foto: BANTUMEN / Miguel Roque

“Tira a Mão da Minha Xuxa” é o clássico cuja letra todos conhecem de cor, mas ouviu-se ainda os hits “Silêncio”, “Rusga di 7h30”, “Afétéré” e “Nha Roseta”, que abriu o espetáculo dos Tabanka Djaz, que pisaram o palco do Rock in Rio pela primeira vez.

BANTUMEN / Miguel Roque

BANTUMEN / Miguel Roque

nv-author-image

Equipa BANTUMEN

A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.