E quem se lembra das Fanny Pack? Estão de volta!

Se não és dos anos ’80 ou ’90, então não te lembras destas bolsas que tanto sucesso fizeram. E agora estão de volta, para te “apertar” por completo, literalmente… Perguntas-te: mas do que está ele a falar? Passo a explicar. Ora, uma fanny pack é uma bolsa de cintura ou pochete, que fez as delicias de vários estilos há cerca de 20 anos.

Back in the days, fanny pack was the thing. Todos usavam uma, provavelmente os teus pais ou irmãos mais velhos devem ter uma guardada naquele baú em que ninguém quer mexer e recordar the good old days de quando usavam aqueles cortes de cabelo estranhos e calças à boca de sino.

O que viste acima é apenas um pouco da era do anos 90’s. Caso não te lembres. Mas voltando ao que interessa, as bolsas eram usadas como pequenas malas para guardar apenas o essencial e necessário. Usava-se à cintura, tira-colo ou apenas pendurada no pescoço como um acessório, quer dizer, é um acessório.

A moda é ciclica e a cerca de dois anos para cá que as fanny packs voltaram a ser símbolo de estilo entre os mais jovens, os condutores das novas tendências. Marcas como a Gucci, Supreme, Marc Jacobs e Louis Vuitton deram um look modernizado e adequado às passarelas e ao street style.

Em outras culturas, essas bolsas têm um nome diferente. Na Alemanha são conhecidos como sacos de barriga, em França, sacos de banana. E algumas chegam a custar 1.500€.

Há para todos os gostos e estilos, quer para mulheres ou homens. Ora pequenas, arredondadas, quadradas, ora grandes e cheias de padrões e desenhos, as fanny pack já são encontradas em todos os sítios. Confesso, até eu já comprei uma. Vê as imagens abaixo que no final, vais querer comprar uma também.

Wilds Gomes

Sou um tipo fora do vulgar, tal e qual o meu nome. Vivo num caos organizado entre o Ethos, Pathos e Logos - coisas que aprendi no curso de Comunicação e Jornalismo. Do Calulu de São Tomé a Cachupa de Cabo-Verde, tenho as raízes lusófonas bem vincadas. Sou tudo e um pouco, e de tudo escrevo, afinal tudo é possível quando se escreve.