Chegámos ao final de mais um Rock in Rio. Desta vez, o evento que teve mais de 200 mil pessoas, segundo a organização, vai deixar lembranças agri-doces. Começando pela derrota de Portugal, que levou a organização a cancelar e alterar horários de concertos à última da hora.

Foi um dia de despedidas, alegrias e sol. Os concertos desde o palco Super Bock Digital Stage até ao palco Mundo foram bem concebidos, o que pareceu ser um dia mais calmo e com pouca gente, de repente tornou-se numa enchente em todos os palcos, cada um para ver o seu artista ou banda favorito(a).

Viu-se de tudo e um pouco, danças, caras pintadas e máscaras, tudo para ver a rigor o jogo Uruguai x Portugal. Parou tudo, música e barulho. Só se ouvia o barulho do apito de início do jogo, as vozes a gritar por Portugal e as palmas de acordo com os cânticos, num ambiente completamente “mundialesco”.

Portugal perdeu, e foi o que marcou o último dia do festival de Verão, (talvez) mais esperado por muitos. Mas nem só de perdas vive o homem, a música continuou e fez com que o pessoal esquecesse a tristeza por umas boas horas, e nas caras de todos, ou pelo menos quase todos, o sorriso renasceu.

Jessie J e Katty Perry fecharam este sábado de concertos em alta e com muita qualidade. E acabou a festa, literalmente. Agora só daqui há dois anos, mas deve-se sublinhar que  foram dois fins de semana de muita música, jogos, e diversão.

Lisboa 2018:Jessie J no quarto dia do Rock in Rio, na Cidade do Rock Lisboa, Portugal
Rock In Rio – Lisboa 2018: Katy Perry no Palco Mundo, na Cidade do Rock em Lisboa, Portugal, a 30 de Junho de 2018.
Foto: Agência Zero