Três dias e um milhão de fantasias

Os três dias do festival Milhōes de Festa superaram qualquer expectativa que tínhamos sobre o evento. Ritmos e músicas de todos os continentes estiveram presentes nos palcos, e o público deixou-se levar pelos ritmos e ambiente.

O Milhōes, que tem quatro palcos diferentes espalhados pelo recinto, fez com que a música estivesse presente do início ao fim do dia.

No primeiro dia do evento, o palco Taina recebeu Cumbadélica, um projecto que foi iniciado por Igor Ribeiro e Marie Lopes. Igor e Marie decidiram começar a sua jornada juntos quando descobriram que partilhavam o mesmo interesse por música étnica. As suas sonoridades viajaram entre a música da América Latina, como “Toda a Menina Baiana” de Gilberto Gil, e de África, como “Tunuca” dos Tubarōes ou “Fall” de Davido, entre outros temas.

No palco Piscina, um dos locais de entretenimento preferidos do público, localizado na piscina municipal de Barcelos, tocaram os Cacilhas, Mirrored Lips, Grabba Grabba Tape e DJ K-Sets.

Este foi o espaço que fez mais sucesso no segundo dia, não só porque era um local  convidativo para combater o calor que se fez sentir nestes dias, mas também porque os artistas alotados a este espaço conseguiram levar ritmos que nos transportavam a países mais tropicais. Os artistas foram Kink Gong, Gonçalo, Natalie Sharp e Afrodeutsche.

Além de banhos temperados de altas temperaturas, o público pôde ainda se deleitar com aulas de yoga.

Ainda no dia de estreia desta edição, o palco milhões, o principal, recebeu três artistas, os Krake Ensemble, Circle e Squarepusher.

Scuru Fitchado também estiveram presentes e causaram o caos no Palco Lovers. Scuru, que junta o punk com funaná, ofereceu aos punk lovers e entusiastas de funaná uma sintonia vibrante com as notas da mixagem dessa mistura visionária entre dois estilos completamente distintos. Quem também atuou no Palco Lovers foram artistas Lena d’Água e Primeira Dama com a Banda Xita, Warmduscher e DJ Lynce feat. Berru.

Para fechar o festival em grande, nada melhor do que o Silent Disco. O conceito é simples, todos os participantes dançam ao som da música transmitida via fones. Silêncio quase total entre corpos que se deixam embalar pela música, sem extrapolar as regras da poluição sonora. As sonoridades oferecidas pelos dois DJ de serviço, um com ritmos mais dançantes, e outro para ritmos mais softs.

Um dos pontos positivos a destacar no Milhões de Festa é a interceção que é possível ver entre público e artistas. Ambos cruzam-se enquanto mergulham na piscina ou num qualquer concerto, podendo trocar ideias, vibes ou fotos.

Melissa Pereira