O cancro da próstata chega sem aviso prévio e quando dá “sinal de vida”, por norma, já é tarde demais. Contudo, é possível adoptar um conjunto de hábitos que podem prevenir ou detetar a tempo este mal.

Depois dos 50 anos, há uma série de alterações hormonais que levam ao crescimento gradual da próstata, que pode ser uma patologia benigna que se dá pelo nome de  hiperplasia prostática benigna (BPH), uma das patologias mais comuns do sistema urinário do homem. Esta condição afeta mais de 50% dos homens com mais de 50 anos de idade, e a prevalência é superior a 80% após os 90 anos.

No entanto, esse aumento do tamanho também se pode transformar em cancro. Graças à prevenção, a doença pode ser detetada a tempo e melhorar as taxas de sucesso, os tempos de recuperação e a qualidade de vida do doente, que pode vencer a batalha com terapias menos agressivas. De fato, a taxa de cura é de 90% quando diagnosticada precocemente.

Depois dos 50, os homens devem estar atentos a situações como começar a sentir a necessidade de urinar mais vezes do que o habitual, a cada duas horas, aproximadamente; que a micção é mais fraca, que se apresenta com ardor ou mesmo sangue. Este sintoma deve ser procedido de uma ida ao urologista para poder tratar esse distúrbio.

Evitar a vida sedentária, fumar, ingestão de álcool e refeições abundantes, especialmente alimentos condimentados e gorduras saturadas, são boas práticas a adoptar para prevenir qualquer problema de saúde.

Em suma, levar uma vida ativa e uma dieta saudável pode-nos ajudar a manter a saúde da próstata sob controlo, embora a melhor defesa seja sempre consultar o especialista regularmente. É um processo simples que não envolve riscos ou desconforto, e graças ao qual se pode vencer batalhas. Contudo, o cancro é muito mais difícil de lidar em processos avançados. É algo que está nas nossas mãos, não o desperdicemos.