Terra Amarela - Welket Bungué

15 minutos de Terra Amarela, o filme que expõe o tráfico humano

Embora nem todos tenham real noção da problemática, tráfico humano é um tema que todos já ouvimos falar de alguma forma e que, cada vez mais, ganha destaque na opinião pública. Porém, a luta contra o mesmo parece não ter fim e este continua a ser num negócio lucrativo para muita gente e entidades. O filme Terra Amarela vem falar sobre essa temática.

A curta metragem de Dinis M. Costa aborda o tráfico humano como tema principal do filme que expõe, em tempo real, os processos de uma transação de mulheres. São 15 minutos de uma mistura de homens e mulheres oriundos de várias partes do mundo que caminham para o mesmo lugar, a Terra Amarela.

15 minutos apresentados por uma coreografia entre o olhar do espectador e o movimento dos corpos, retratando a Europa como terra de ninguém. Terra Amarela é uma co-produção entre Portugal e Espanha (B’lizzard e Kinétika) com o apoio da AMI (Assistência Médica Internacional), Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação GDA e ACEP (Associação para a Cooperação entre os Povos).

O filme estreou-se a nível internacional no IV CISTERNA FILM FESTIVAL 2018, em Itália, no Avanca 2018 em Portugal, onde foi vencedor do prémio melhor curta-metragem.
Foi exibido no Cinema São Jorge, no Dia Internacional Contra o Tráfico Humano e foi a primeira exibição pública de Terra Amarela – fora do circuito dos festivais. O filme já passou na Alemanha no ASA International Humanitarian Film Festival 2018 onde arrecadou o prémio de melhor curta-metragem, e no IX Festival Internacional de Curtas-metragens dos Açores. De 4 a 14 de outubro, Terra Amarela fará parte do Traço – International Drawing Festival of Alentejo 2018, em Elvas, Portugal.

O filme conta com os actores, Inês Vaz, Tomé Quirino, Marina Leonardo, Cleo Tavares, Volodymyr Kolomiyets, Nádia Sena e Welket Bungué, que está a caminho do Brasil para dar início às gravações da nova longa-metragem da realizadora brasileira Laís Bodansky, com a participação de Cauã Reymond e a Isabél Zuaa.

Vê abaixo uma das cenas de Terra Amarela, protagonizada pelo ator Welket Bungué:

BANTULOJA
nv-author-image

Wilds Gomes

Sou um tipo fora do vulgar, tal e qual o meu nome. Vivo num caos organizado entre o Ethos, Pathos e Logos - coisas que aprendi no curso de Comunicação e Jornalismo. Do Calulu de São Tomé a Cachupa de Cabo-Verde, tenho as raízes lusófonas bem vincadas. Sou tudo e um pouco, e de tudo escrevo, afinal tudo é possível quando se escreve.