China cria super baratas para acabar com 50 toneladas de lixo por dia

Quem gosta de baratas? Ninguém. Contudo, esses pequenos seres que tanta repulsa provocam são os novos melhores amigos do ambiente, pelo menos na China. Na terra de Confúcio está a ser desenvolvida uma super barata para a acabar com o problema de excesso de resíduos sólidos produzidos pela população.

Na China, as baratas ajudaram a criar uma indústria multimilionária, usada em todos os sectores, desde alimentar até à saúde (medicina tradicional). A indústria está tão florescente que existem mesmo criadores de “super baratas” ​​para resolver o problema dos resíduos de 50 toneladas por dia das cidades chinesas.

De acordo com a imprensa do país, nove milhões de toneladas de lixo foram produzidas em Pequim em 2017. A solução? Dar esse lixo como alimento para as super baratas.

Em Jinan, capital da província oriental de Shandong, um aterro sanitário hospeda um bilhão desses insetos. O sucesso tem sido tal sucesso que a Shandong Giaobin Tecnologia Agrícola Co, que gere o aterro, está a pensar em abrir mais três no próximo ano.

O plano é usar esse método para ajudar a eliminar cerca de um terço do lixo produzido por sete milhões de habitantes na cidade. Em Sichuan, essas super baratas nascem para a indústria farmacêutica. De acordo com o jornal italiano on-line Corriere della Serra, a baratas são cultivadas em temperatura e humidade controladas, usando um sistema alimentado por inteligência artificial que aprende com a experiência e os erros. No entanto, alguns cientistas estão preocupados: o que aconteceria se um erro humano ou um terremoto libertasse seis mil milhões de baratas? A pergunta ainda não tem resposta.

Equipa BANTUMEN

A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.