A NBA, através de seu diretor Adam Silver, anunciou a criação de um campeonato africano, intitulado Basketball Africa League (BAL).

A competição de basquetebol mais conhecida do mundo, a NBA, criará o seu primeiro campeonato (em colaboração com a FIBA) fora da América do Norte. Adam Silver, o chefe da Liga Americana anunciou neste sábado, durante o All Star Game, a criação da Basquetebol Africa League (BAL). Esta competição está prevista para começar em janeiro de 2020 e reunirá doze equipas (após a qualificação) espalhadas pelo continente africano.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por NBA (@nba) a

O BAL será construído com base nas competições atuais que a FIBA ​​organiza. A NBA também anunciou o seu plano para introduzir uma nova oferta direta de jogos da NBA para os fãs em África até ao início da temporada 2019-20 da NBA. A oferta incluiria novos pacotes, recursos e conteúdo localizado, com detalhes adicionais a serem anunciados brevemente.

Os anúncios foram feitos pelo secretário-geral da FIBA, Andreas Zagklis, e pelo comissário da NBA, Adam Silver, no NBA All-Star 2019 Africa Luncheon, em Charlotte, Carolina do Norte, na presença do presidente da FIBA ​​África, Hamane Niang, entre outras personalidades do desporto.

“Em nome da FIBA, é uma enorme alegria ver a nossa parceria com a NBA entrar num território inexplorado enquanto trabalhamos juntos pela primeira vez para maximizar o potencial do basquetebol profissional em África”, disse Zagklis. “Isto é uma extensão natural do que fizemos com a iniciativa conjunta Basquetebol Sem Fronteiras (BWB), que ajuda a encontrar, desenvolver e estimular jovens talentos em todo o mundo, inclusive em África. A Liga Africana de Basquetebol permitirá construir sobre as sólidas bases estabelecidas pela FIBA ​​África e relançar a competição de clubes do continente para oferecer a melhor plataforma para os melhores clubes e jogadores”, continuou

“Este é um dia histórico para a FIBA ​​África e o basquetebol no nosso continente”, disse Bilé. “Estamos empolgados para trabalhar de perto com a NBA para desenvolver uma liga profissional como nenhuma que já tenhamos visto na nossa região antes. Através da Liga Africana de Basquetebol, podemos fornecer aos muitos grandes clubes e jogadores o melhor ambiente possível para competir pelas apostas mais altas. A implementação desta liga também é vital para os nossos jovens jogadores em ascensão em África, uma vez que lhes dá algo para apontar: eles podem se ver como jogadores que podem jogar e evoluir nestas competições, mesmo no seu continente.”

“O estabelecimento da Basketball Africa League é outro marco interessante para a NBA em África”, disse Fall. “Ter uma liga de basquetebol profissional de primeira linha nem África fornecerá uma plataforma para os jogadores de elite mostrarem o seu talento e inspirarem mais meninos e meninas a jogar o jogo.”

A NBA e a FIBA ​​planeiam realizar torneios de qualificação ainda este ano para identificar as 12 equipas que representariam vários países africanos, incluindo Angola, Egito, Quénia, Marrocos, Nigéria, Ruanda, Senegal, África do Sul e Tunísia, com não mais do que duas equipas por país.

A NBA e a FIBA ​​também planeiam dedicar apoio financeiro e recursos para o desenvolvimento contínuo do ecossistema de basquetebol no continente, incluindo treino para jogadores, treinadores e árbitros e investimento em infraestrutura.