Localidades inteiras desapareceram, 300 pessoas morreram e milhares esperam desesperadamente pelo apoio das equipas de resgate. É este o balanço, até ao momento, da pior tempestade de sempre no hemisfério sul, que afectou Moçambique, Zimbabué e o Malawi, depois da passagem do furacão Idai, no dia 14 de março.

De acordo com as estatísticas das organizações no local, o número de vitimas mortais pode subir para mais de mil.

No início da semana passada, as autoridades de Maputo, capital de Moçambique, colocaram a região em alerta vermelho e ordenaram a evacuação das populações mais ameaçadas, com o estabelecimento de centros de acolhimento de emergência para as vítimas. Na noite de quinta-feira 14 a sexta-feira 15 de março, o ciclone Idai cai no leste do continente africano e atinge Moçambique. Os ventos oscilam entre 180 e 190 km / h.

Até agora, o apoio estrangeiro aos três países afetados eleva-se a 52,5 milhões de euros, uma soma que pode não ser suficiente para prestar todo o apoio necessário às populações, em termos de aquisição de produtos de necessidade básica e para reconstrução das infraestruturas destruídas.

Por isso, toda a ajuda é bem-vinda. O que cada um de nós pode fazer? Doar. Como?

Num comunicado a que a Lusa teve acesso, o embaixador moçambicano em Portugal, Joaquim Casimiro Simeão Bule, sublinha especificamente a necessidade de “produtos alimentares enlatados, com período de validade prolongado”; “produtos para o tratamento de água, produtos de higiene e limpeza”, assim como “apoio monetário”.

VAMOS DOAR!

Se estás em Portugal, os produtos devem ser enviados para a sede nacional da Cruz Vermelha Portuguesa, no Jardim 9 de Abril, 1249-083 Lisboa, e os donativos em dinheiro devem ser transferidos ou depositados na conta com o Iban PT50.0010.0000.363191100017.4 ou por pagamento de serviços para a entidade 20999, com a referência 999 999 999.

Se estiveres noutro país, podes entrar em contato com a embaixada moçambicana ou fazer um dom através das organizações humanitárias internacionais como a UNICEF ou a Cruz Vermelha.

Antes de efetuares qualquer donativo, certifica-te que o organismo que o vai receber é fidedigno, como o caso das instituições que referimos acima.