Como já nos tem habituado, a Apple apresentou no dia 25 de Março, em Cupertino, California, uma série de novidades que já estão disponíveis para os seus utilizadores. Embora a expetativa fosse enorme, muita destas funcionalidades apresentadas serão restritas a alguns países, pelo menos por enquanto. 

O evento começou por apresentar a Apple News+, um novo serviço de subscrição que junta cerca de 300 revistas populares, jornais e edições digitais numa experiência conveniente e agradável, com organização dentro do aplicativo Apple News. Este aplicativo, estará apenas disponível nos EUA e Canadá, pelo menos por enquanto, e apresenta os melhores e mais relevantes artigos, dentro de várias áreas de interesse, desde publicações como Vogue, National Geographic Magazine, People, ELLE, The Wall Street Journal e Los Angeles Times. Apple News+ pode ser subscrita por 9.99 dólares por mês nos EUA e por 12.99 no Canadá, sendo que em ambos está disponível por um período experimental de um mês. 

Já haviam rumores sobre uma das grandes novidades desta apresentação da Apple, o Apple Card, e parece que esta superou todas as expectativas. Estamos a falar de um novo serviço de cartão de crédito criado e desenhado pela Apple para ajudar os seus clientes a lidar de uma forma saudável com a sua vida financeira. O Apple Card será construído dentro do aplicativo Apple Wallet no iPhone, oferecendo aos clientes uma experiência familiar com o Apple Pay e a possibilidade de gerir o seu cartão directamente do seu iPhone. O Apple Pay transforma toda a experiência de cartão de crédito, simplificando o processo de adesão ao serviço, eliminando taxas, incentivando os clientes a pagar menos juros e proporcionando um novo nível de privacidade e segurança. Uma das atrações que o serviço oferece é um programa de recompensas, que se destaca face aos serviços bancários, em que é disponibilizado “Daily cash”, que visa o retorno de uma percentagem das compras efectuadas com o serviço Apple Card, todos os dias — 2% de retorno do montante das compras efectuadas como serviço Apple Card, 3% de retorno, se efetuar compras com o Apple Card nas lojas Apple e 1% se usar o cartão físico Apple Card, bastante elegante e em titânio, em lojas físicas. Tem muitas outras características interessantes, primando por ser simples, objectivo e claro.

O extrato das compras e pagamentos com o Apple Card, permite saber exatamente onde a compra ou pagamento foi efetuado, disponibilizando no aplicativo a morada e o logotipo da empresa que recebeu o pagamento, ao contrário dos extratos bancários, muitas vezes indecifráveis. Apresenta também uma visão simples e clara, com gráficos agradáveis e de simples interpretação para que o cliente consiga compreender todos os seus saldos e movimentos, em tempo real directamente na Wallet, disponibilizando também um serviço de apoio ao cliente Apple Card 24h, sete dias na semana, através de um simples mensagem de texto. Este serviço atrativo e estará disponível nos EUA já neste de Verão de 2019, sendo que, é uma incógnita se será aceite em mais algum país. 


Para os amantes de jogos, também chegaram algumas novidades. A Apple introduziu o Apple Arcade, o primeiro serviço de subscrição para serviço móvel, PC, e conforto da sala de estar. Este serviço de subscrição irá permitir aos utilizadores terem acesso a cerca de 100 novos e exclusivos jogos, incluindo lançamentos originais de criadores renomados como Hironobu Sakaguchi, Ken Wong, Will Wright e dezenas de outros. A Apple Arcade pretende redefinir o mundo dos jogos e ser organizado com base na originalidade, qualidade, criatividade, diversão, e um apelo a jogadores de todas as idades. Esta subscrição irá dar liberdade aos utilizadores de experimentar qualquer jogo a partir de uma coleção escolhida por ti, sem anúncios, sem rastreamentos para publicidades e respeitando a privacidade do usuário. O serviço que dará acesso a mais de 300 jogos, pagos e gratuitos, permitirá ao utilizador jogar em qualquer dispositivo Apple.

Apple Arcade será lançado no Outono de 2019 em mais de 150 países, menos restritivo face às outras novidades da marca, sendo que um novo separador irá ficar disponível na App Store através do iOS, MacOS e TVOs. 

A apresentação da Apple terminou com uma revelação que tem sido uma tendência nos últimos meses — a Apple TV+, a que designam como a nova casa para os contadores de histórias mais criativos, contando com documentários, filmes e performances originais . Este serviço de subscrição de videos originais da Apple apresentará um nova lista de programação dos artistas mais criativos e conhecidos do mundo, incluindo Oprah Winfrey, Steven Spielberg, Jennifer Aniston, Reese Witherspoon, Octavia Spencer, J.J. Abrams, Jason Momoa, M. Night Shyamalan, Jon M. Chu e muito mais. Neste aplicativo da Apple TV, os subscritores terão acesso a todo o tipo de filmes originais, e histórias inspiradoras, sem anúncios. Este aplicativo permite também o acesso nos diferentes dispositivos Apple, iPhone, iPad, Mac e em smart TVs e aparelhos streaming. Os utilizadores podem subscrever e assistir aos novos canais da Apple TV — pagando apenas para os serviços que pretendem, como HBO, SHOWTIME, e Starz, disponíveis offline e sob demanda. 

A subscrição do serviço Apple TV+ e o seu custo será anunciado no Outono deste ano e estará disponível para iPhone, iPad e Apple TV em cerca de 100 países, com uma atualização de software gratuita já em Maio. Através do Family Sharing, os utilizadores podem partilhar a Apple TV+ e subscreverem canais. Este aplicativo estará disponível para Smart TVs Samsung, já no início da primavera e nas nas plataformas de TV Amazon Fire, LG, Roku, Sony e VIZIO, no futuro. 


Estas foram as novidades apresentadas no evento da Apple, que conta com diversos serviços de subscrição, uma forma de combater a disponibilização  totalmente gratuitas de jogos, filmes ou revistas, que se mantêm através de publicidades e de rastreamento dos utilizadores, para obterem os seus ganhos.