O Facebook vai alargar a rede de ‘fact checking’ (verificação de factos) a propósito das eleições europeias de final de maio e vai chegar a Portugal, através de uma parceria com o jornal ‘online’ Observador.

Numa informação enviada à agência Lusa, a rede social Facebook dá conta de que “tornou a luta contra a desinformação na [sua] principal prioridade”, estando a tomar medidas “para defender a integridade das informações e das conversas […], o que é fundamental neste período eleitoral”.

Uma dessas medidas é, assim, o alargamento desta rede de ‘fact checkers’, que em Portugal será composta pelo Observador. O jornal, assim como os outros meios de comunicação incluídos, terá como tarefa o combate à disseminação de notícias falsas (as chamadas ‘fake news’).

Segundo o Facebook, isso passa por identificar exatamente que notícias são falsas através de um processo de análise dos factos contidos nos artigos duvidosos.

Depois, os ‘fact checkers’ vão assinalar se se trata ou não de uma notícia falsa e, em caso afirmativo, essa indicação vai aparecer para os utilizadores do Facebook.

Acresce que os conteúdos falsos serão colocados no fundo do ‘feed’ de notícias (página de destaques) da rede social, evitando que os utilizadores os leiam.