Centenas de postos de combustível em Angola estão sem gasóleo e sem gasolina. A companhia petrolífera Sonangol  justificou no passado sábado que a escassez de combustíveis nos principais postos de abastecimento do país deve-se ao difícil acesso às divisas para a importação de refinados de petróleo.

Nas redes sociais têm proliferado imagens que mostram condutores a dormirem nas bombas de combustível para poderem ter acesso ao precioso. Pensando na possibilidade dos condutores poderem informar-se uns aos outros condutores em quais postos de abastecimento ainda há combustível, programadores criaram a plataforma online Cadê o Combustível.

O lançamento da plataforma permite assim às pessoas identificarem as bombas de combustível que estejam em funcionamento e que ainda possibilitem o abastecimento dos dois derivados de petróleo mais utilizados, nomeadamente, o gasóleo e a gasolina.

Esta startup tem como objetivo primordial informar e permitir que qualquer pessoa possa informar quais os postos de abastecimentos que estão disponíveis, bem como o tipo de combustível. Para tal basta preencher um formulário. As respostas estão disponíveis para todos os utilizadores.

Os cidadãos começaram a sentir a escassez de combustíveis no domingo, 05. A situação tende a piorar, como constatou a DW nalgumas ruas e avenidas de Luanda, onde há pouca circulação de veículos.

No centro e na periferia da capital angolana, há bombas de combustíveis quase vazias, onde só se veem trabalhadores à espera do abastecimento. Nos locais onde há combustíveis, as filas são de perder de vista.

Há quem não consiga abastecer o seu carro, nem mesmo depois de passar horas a fio à espera da sua vez.


SABER MAIS