Como já falamos aqui, Madonna revelou que o 14.º álbum de estúdio foi gravado ao longo dos últimos 18 meses em Portugal, Londres, Nova Iorque e Los Angeles (Estados Unidos) e que foi criativamente influenciado por Lisboa, onde tem vivido “ao longo dos últimos anos”.

De acordo com a cantora, “Madame X” (nome do álbum), é um fruto colhido em Portugal, o país que mais a inspirou e deu vida há algumas canções. As cidades que conheceu e a Lisboa que a acolheu, juntamente com os bares e restaurantes de música ao vivo onde se fazem ouvir o Fado, deram vida a sua criatividade.

Questionada pela revista francesa Têtu acerca do álbum, a cantora afirmou que este álbum não é só uma homenagem ao Fado. “Não só ao Fado. Fui influenciada por muitas coisas desde que vivo lá. Foi em Lisboa que este álbum nasceu. O álbum é a expressão do tempo que passei em Portugal.”

Ver esta publicação no Instagram

Madame ❌ is checking her armor………,.,,,.,.,,,,.#future

Uma publicação partilhada por Madonna (@madonna) a

Mas isso só foi possível graças a um dos grandes nomes da música cantada em português e em crioulo, Dino D´Santiago, que se tornou amigo e companheiro de música da artista e quem a introduziu as melodias feitas na terra de Camões, entre a grande cidade e os bairros.

“Espero que o meu português seja bom. Tive um bom treinador, o Dino D’Santiago. Ele ajudou-me muito e apresentou-me a músicos fantásticos. Ele foi essencial para a criação deste disco”

Na entrevista à revista, Madonna confirmou ainda que continua a ter uma casa em Portugal e que vem a Lisboa com “muita frequência”. “O meu filho está a jogar no Benfica. Mas sabem, eu moro em aviões. O céu é a minha casa”, conclui.