“Dona Tereza” é o titulo do mais recente trabalho a solo de Masta a.k.a OG Baby, lançado em Abril deste ano. O seu primeiro álbum de originais, que foi criado e lançado em homenagem à sua falecida mãe, Dona Tereza.

Produzido pela produtora #MmhummOkAhhhEnt., o álbum conta com dez faixas musicais, incluindo os singlesBrilha“, “Ela diz que não” e “Amor”, que foram lançados no decorrer do ano passado como faixas promocionais. 

Depois de vários meses em Luanda onde gravou o álbum por completo, o rapper voltou a Linha de Sintra, Lisboa, cheio de novidades e várias histórias na sua bagagem para partilhar. Estivemos com o OG no estúdio da Big Bit para conversamos sobre todas estás mudanças na sua vida pessoal e profissional.

Numa conversa de 36 minutos falamos sobre as 10 faixas que compõem o álbum “Dona Tereza” assim como as mudanças e o aprendizagem que foi adquirindo durante o processo de gravação longe do resto dos elementos da Força Suprema.

A lembrança dos clássicos da Força Suprema e de sucessos como “Desenrascar ou Morrer” ou “Qual é o Mambo” foram alguns dos temas da conversa.

O álbum tem a assinatura de produtores angolanos como Cairo Rossyzz, Emp Production, Vanilson Beats, Algo Desconhecido, Darkroom e Memórias, o único produtor português no LP.

Este projecto mais introspectivo de Masta, serviu como uma terapia para uma fase menos boa que o rapper atravessou, depois de perder a sua mãe, a 31 de julho de 2018. A ausência de participações explica-se pelo facto de este ser um trabalho tão pessoal quanto a dor que o artista sente.

A capa pintada à mão ficou a cargo de Hélio Design e de Holy Ly. Nos vários videos que ja estão disponíveis, Masta trabalhou com o director e realizador angolano Helder Phill, e FabioYB.

O álbum está disponível em todas as plataformas digitais e em breve em formato físico.