O futebol africano nas últimas três décadas tem registado um desenvolvimento notável, mesmo estando a passar por tempos difíceis. A FIFA, entidade reguladora do futebol mundial em concertação com a atual direcção da CAF, a uma decisão sem precedentes: a nomeação de uma consultora para assumir a gestão  da Confederação Africana de Futebol Africano (CAF),  por causa dos vários casos de suspeitas de corrupção dentro daquela instituição.

Grandes controvérsias têm manchado negativamente o futebol africano, como a falta de capacidade dos dirigentes desportivos deste continente para levar a “modalidade rainha” a bons portos, mas o continente tem produzido jogadores talentosos que têm progressivamente ganho espaço nas principais ligas da Europa em comparação com jogadores da América do Sul, Ásia e América do Norte.

Outro facto que devemos ressaltar é o da Bota de Ouro da Premier League deste ano ter sido dividida entre três africanos. Nomeadamente, Pierre-Emerick Aubameyang, o egípcio Mohamed Salah e o senegalês Sadio Mané.

A maior parte dos jogadores africanos presentes nos CAN estão entre os jogadores mais valiosos do mundo e a BANTUMEN descortina quem são eles.


Cedric Bakanbu

Cédric Bakambu está longe de ter o prestígio de grandes nomes do futebol africano das últimas décadas, mas de uma coisa o jogador pode se vangloriar diante de nomes como Samuel Eto’o e Didier Drogba: é o mais caro na história do futebol africano.

Tal feito foi alcançado quando o Beijing Guoan (China) anunciou a contratação do atacante por 40 milhões de euros vindo do Villareal. O valor não supera as contratações de Mohamed Salah, ou Sádio Mané, mas como os clubes chineses têm sido taxados na aquisição de atletas estrangeiros, o valor da transferência subiu para cerca de 65 milhões de libras, de acordo com a BBC.

Riyad Mahrez

A recente transferência do internacional argelino do Leicester City para o Manchester City teve uma taxa de transferência de 60 milhões de libras (66 milhões de euros), o que fez com que Mahrez estivesse entre os jogadores de futebol mais caros de África. Mahrez também bateu o recorde por ter sido a contratação mais cara da história do Manchester City.

Sadio Mane

O jogador senegalês foi transferido do Southampton para o Liverpool pelo valor de 35 milhões de libras (39 milhões de euros) em junho de 2016 .

O jogador de 28 anos ganhou 60 partidas pelo Senegal desde a sua estreia em 2012, representou a seleção nacional nas Olimpíadas de 2012, na Copa das Nações Africanas de 2015 e 2017 e na edição de 2018 da FIFA World.

Mohamed Salah

O Futebolista Africano do Ano, pela CAF, e o Futebolista Africano do Ano, pela BBC, é atualmente um dos jogadores africanos mais valiosos. A mudança aos 27 anos da AS Roma para o Liverpool em 2017 valeu 36,9 milhões de libras (cerca de 40 milhões de euros). Salah chegou da equipa AS Roma em 2017, marcou 71 golos em 104 jogos, vencendo a Bota de Ouro da Premier League em ambas as temporadas em Anfield.

Salah também tem sido um dos principais jogadores do Liverpool, tendo ajudado a equipa a vencer a Liga dos Campeões na temporada passada e conquistado o segundo lugar na Premier League.

Naby Keita

Naby Keita foi transferido do RB Leipzig para o Liverpool em 2017, num negócio de 52,7 milhões de libras (58,8 milhões de euros). No Liverpool,Naby Keita vestiu a camisola 8, que pertenceu ao lendário Steven Gerrard, este último atualmente tornou-se treinador dos escoceses do Rangers. É a primeira vez que o mítico número é utilizado desde a saída do antigo internacional inglês.

Pierre-Emerick Aubameyang

O jogador profissional gabonês ganhou as manchetes em 2018 quando deixou o Borussia Dortmund para o Arsenal num negócio de 56 milhões de libras (62 milhões de euros), o que fez dele o jogador africano mais caro da época, sendo atualmente um dos jogadores mais caros do Gabão. Aubameyang joga como atacante pelo Arsenal, clube da Premier League, e é o capitão da equipa nacional do Gabão.