Welket Bungué já nos habituou a boas produções, desde webséries a longas metragens. “Intervenção Jah” é a mais recente produção da KUSSA Productions, composta pelos irmãos Welsau e pelo ator luso-guineense.

Esta curta-metragem tem o objetivo de questionar mas também propor uma discussão mais concreta e consciente sobre a violência institucionalizada no Brasil, pela mão das forças policiais, que têm resultado num crescente número de corpos, sobretudo de afro-brasileiros jovens, que perdem as suas vidas ou sobrevivem com mazelas violentas e profundas.

De acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública de 2017, as pessoas negras no Brasil ainda representam mais de metade da população do país. Entre 2005 e 2015, o número de pessoas negras assassinadas aumentou 18% “e isso nos tornou também a maior parte das vítimas de homicídio, tendo correspondido a 71% do total de corpos registrados”, afirmou Welket.

“Intervenção Jah” é uma performance realizada por Welket Bungué, baseada sobretudo no caso de Cláudia da Silva Ferreira, uma moradora da comunidade de Congonhas, zona norte do Rio de Janeiro, que foi fatalmente baleada pela Polícia Militar em Março de 2014.

Numa tentativa de prestar socorro ao corpo da cidadã, Cláudia foi levada na bagageira do carro da polícia que inesperadamente acabou por se abrir e fazer com que o corpo da mesma caísse sobre a estrada e fosse arrastada por cerca de 250 metros.

Ver esta publicação no Instagram

‘Intervenção Jah’ é um projeto feito com muito carinho, reflexão e dedicação. Esse filme vem na continuidade de minha pesquisa acerca dos lugares ocupados física e culturalmente pela extensa e múltipla negritude que trans-habita o território brasileiro, mas também o pan-global. Nosso filme foi selecionado para @oficialmimb (2a Mostra Itinerante de Cinemas Negros – Mahomed Bamba) que vai ocorrer na mítica cidade de Salvador da Bahia. Estou feliz, lisongeado pela decisão da curadoria e do júri do Festival ao admitir este nosso filme. O filme só foi possível com a colaboração de artistas extraordinários: @danielsantos_______ @radioescada @kristinbethge @jesenra @evguenymaks @carvalhocreative Walter Reis Frado Monteiro @casaraodosprazeres #intervençãojah #jahintervention #kussaproductions #welketbungue #cinema #shortfilm #mimb2019

Uma publicação partilhada por Welket Bungué (@welketbungue.movies) a

“Esta performance revive esse acontecimento de uma forma mais simbólica, que propõe a sensibilização sobre a desumanização e o isolamento perverso em que as comunidades periféricas e os seus moradores (maioritariamente afro-descendentes) são vítimas” afirma Welket Bungué.

O filme acontece no Morro dos Prazeres (Rio de Janeiro), e mostra como as forças policiais agem nas favelas “em função das classes que os populam em detrimento de outros lugares periféricos, e ou marginalizados, onde as forças da opressão atuam indescriminadamente fazendo valer as suas vontades e pretensões subjetivas, veladas numa ideia de serviço ‘público’”, explica-nos.

Para além de “Intervenção Jah”, Welket Bungué tem ainda marcado para este mês outras estreias, como ‘EU NÃO SOU PILATUS, no VIII Kova M Festival, um filme que faz uma releitura sobre o caso de violência policial ocorrido no Bairro da Jamaica, e que chocou os portugueses e a diáspora africana.

Segundo o ator e realizador, apesar de ter feito correr tinta nos media, as consequências dos atos de repúdio face à situação vivida, surtiram efeitos pouco evidentes tendo em conta a mobilização tida na marcha de protesto realizada pelos jovens na época.

Podes ver abaixo o trailer de “Intervenção Jah” que foi selecionado para a II Mostra Itinerante de Cinema Negro – Mahomed Bamba, que irá decorrer em Salvador da Bahia, Brasil, entre os dias 14 e 18 de agosto.