“Waters (Pa Nu Poi Koraji)” é o primeiro single de Prétu e será lançado nos próximos dias.

A música tem a participação de Lowrasta e o vídeo é dirigido por Chullage e Miguel Almeida.

Prétu é um projeto onde Chullage decidiu juntar o seu próprio universo sónico ao universo mais obscuro das suas letras. O resultado é a justaposição e transformação das suas origens e referências africanas, com as suas influências eletrónicas para expressar o seu pensamento sobre o colonialismo, o pan-africanismo e o contexto político de África e da sua diáspora.

Ao contrário do que aconteceu nos álbuns em que assinou como Chullage, “Waters (Pa Nu Poi Koraji)” foi produzida pelo próprio artista, a partir de um universo de samples que sempre tiveram ressonância em si ou que fazem parte das suas memórias de infância. “O single evoca uma reflexão sobre o racismo presente que penetra em todas as coisas em estados diferentes, como a água”, explica-nos Prétu em comunicado enviado à redação.

O vídeo é a ilustração encenada da exploração e genocídio do corpo negro. Ao mesmo tempo, e à medida que progride, coloca o negro como sujeito da sua história. “Waters” sincroniza cenas do passado com cenas do presente, colocando a atualidade da exploração e descarte do corpo negro em oposição aos discursos pós-raciais. Há, neste single, a clara intenção de cruzamento das artes visuais, vídeo, teatro e música na construção de uma outra estética politica.

Entrelaço de mensagem lírica (“mudaram os tempos, mudaram as leis, de certa forma ainda estou nessa roça”) e frases imagéticas como black lives matter, sintonizam indivíduos no anseio da libertação. Em “Waters” é possível identificar referências do movimento, do teatro imagem e físico, do alto contraste. Tudo isso num jogo de ritmo e imagem entre que funde o presente e o passado.

O movimento dos sujeitos do vídeo é a metáfora dos movimentos de libertação que, por sua vez, evoluem do desejo, para a ideia para a ação de luta. O vídeo será lançado em conjunto com o site www.chullage.org onde ficará disponível para visualização e comercialização.

O Hangar Music é uma plataforma e laboratório de criação constituído por artistas visuais e músicos que, em colaboração com entidades nacionais e internacionais, elaboram estratégias de acção que fomentam o desenvolvimento profissional de práticas artísticas na área da música. O projecto é também uma editora independente que se constitui num formato cooperativo e horizontal gerida pelos próprios artistas que representa.

O Hangar Music desenvolve residências artísticas, programas de criação, formação e concertos com curadoria que pretende criar ligações e encontros entre músicos e as mais diversas áreas artísticas. O projecto tem como objetivo encorajar a experimentação e o cruzamento de disciplinas, práticas, olhares e questionamentos, como forma de potenciar a prática artística musical e criar ligações entre artistas e o público local, no âmbito de um contexto internacional tendo Lisboa como palco de acção.

O projeto visa incentivar a discussão da música contemporânea emergente e consagrada, estimulando o desenvolvimento de práticas artísticas motivadas por uma experiência consciente, sustentável e partilhada.