Recorde mundial: 350 milhões de árvores plantadas na Etiópia

Mais de 350 milhões de árvores plantadas na Etiópia: um recorde mundial

E vai um recorde mundial para a Etiópia. Isso mesmo, um recorde mundial. Nesta segunda-feira, 29, os etíopes plantaram mais de 350 milhões de árvores, uma iniciativa para combater a deflorestação no país e reduzir as alterações climáticas.  

O projeto faz parte da campanha nacional Green Legacy, cujo objetivo é plantar quatro mil milhões de árvores no país, ainda este verão. A campanha quer consciencializar o público para a degradação ambiental da Etiópia e alertar para a importância de adotar um comportamento ecológico. Segundo a ONU, a cobertura florestal da Etiópia foi de apenas 4% nos anos 2000, abaixo dos 35% do século anterior, de acordo com dados fornecidos pelo The Guardian. 

De acordo com a Associated Press (AP), a iniciativa partiu do primeiro-ministro, Abiy Ahmed, que para além dos motivos ambientais e climáticos, visa também ajudar a restaurar a paisagem do país.  

O número de árvores plantadas esta segunda-feira foi confirmado via Twitter pelo ministro etíope da Inovação e Tecnologia, Getahun Mekuria, que quer incentivar, juntamente com Ahmed, cada habitante a plantar pelo menos 40 sementes. 

“As árvores não só ajudam a mitigar as alterações climáticas ao absorver o dióxido de carbono que há no ar, como também combatem a desertificação e a degradação dos solos, especialmente em países secos. Também dão comida, medicamentos e criam abrigo”, explicou Dan Ridley-Ellis, da Universidade de Edimburgo, ao The Guardian.


Até então, a Índia era o país que detinha o recorde de mais árvores plantadas num só dia, cerca de 50 milhões, em 2016, segundo o The Guardian.  Contudo a iniciativa Green Legacy superou a meta inicial de plantar 200 milhões de árvores em apenas 12 horas.  

nv-author-image

Wilds Gomes

Sou um tipo fora do vulgar, tal e qual o meu nome. Vivo num caos organizado entre o Ethos, Pathos e Logos - coisas que aprendi no curso de Comunicação e Jornalismo. Do Calulu de São Tomé a Cachupa de Cabo-Verde, tenho as raízes lusófonas bem vincadas. Sou tudo e um pouco, e de tudo escrevo, afinal tudo é possível quando se escreve.