Criador do afrobeat, referência maior da música africana, completaria esta sexta-feira 81 anos se estivesse vivo. Recordamos o gerador de uma obra imensa que continua a inspirar gerações de músicos, mas também um homem controverso que soube desafiar o poder indomitamente. Na sua música ferve o majestoso espírito de África e um universal apelo à elevação da condição do homem.

A 2 de agosto de 1997, o lendário músico nigeriano, compositor, multi-instrumentista e activista de direitos humanos Fela Kuti morreu aos 58 anos.

Kuti dedicou a sua vida a combater a desigualdade, a injustiça e o imperialismo cultural através da sua música.

Fela Anikulapo Kuti nasceu a 15 de outubro de 1938 na cidade nigeriana de Abeokuta, no seio de uma família cristã. Mudou-se para Londres em 1958 para estudar Medicina, mas optou por se matricular no Trinity College of Music. Formou a banda Koola Lobitos, com a qual começou a definir o estilo afro-beat.

Fela Kuti é o criador do afro-beat e um dos músicos africanos mais populares e prezados, pela qualidade da sua música como por não ter deixado de lutar contra a injustiça das ditaduras em África e no mundo.

Este multi-instrumentista, compositor e activista dos direitos humanos revolucionou a música africana, introduzindo ritmos de funk e blues para abrilhantar o estilo afro-beat.

Tudo começou em 1963 no seu regresso a Lagos, depois de ser informado da situação do seu país e do continente africano em geral. O artista ficou irritado e motivado a revoltar-se contra as injustiças vividas no continente. Posteriormente, Fela viajou com a sua banda para os Estados Unidos, onde descobre o movimento Poder Negro e o Partido das Panteras Negras, que exerceram uma influência decisiva na sua música e nos seus ideais políticos. O que levou Fela a baptizar a sua banda como África 70.

De regresso à Nigéria, o artista cria a República de Kalakuta, uma produtora musical cooperativa, onde os activistas que procuravam a independência se reuniam ocasionalmente. Em 1970 entra em estúdio para gravar Buy África. A sua popularidade cresceu e começou a sofrer perseguições oficiais devido aos seus ideais políticos.

Em 1977 Fela e o grupo África 70 lançaram um dos seus discos de maior êxito – Zombie – um ataque directo aos soldados nigerianos. O êxito do disco desencadeou um ataque por parte do Governo nigeriano ao cantor e à sua banda.

Formou o seu próprio partido político, Movimento do Povo, e em 1979 candidatou-se à presidência, mas a sua candidatura foi recusada. Nessa altura criou uma nova banda, a qual chamou Egypt 80 e continuou a gravar discos e a realizar tournées pelo seu país.

Na década de noventa a sua actividade começou a abrandar e deixou de publicar discos. A 2 de agosto de 1997 foi anunciada a sua morte em Lagos, Nigéria.

Abaixo deixamos-te uma compilação das melhores faixas de Fela Kuti para te deliciares com a musicalidade de um dos gigantes da música africana.