Eduardo Camavinga conseguiu o que muitos adolescentes sonham, jogar na equipa A de um grande clube, o mais rápido possível, e ajudar a equipa a ganhar títulos, em tão tenra idade.

O jovem prodígio foi titular na receção do Rennes ao PSG, fez uma assistência e foi considerado o melhor em campo na vitória frente aos campeões em título. Camavinga nasceu em 2002 e tem 16 anos.

Camavinga nasceu em Angola mas viveu toda a sua infância em França. O médio angolano tornou-se numa das grandes promessas do futebol europeu e pode acabar por ser uma boa notícia para a seleção francesa, e a naturalização é não só possível como provável. 

Se fizermos uma análise da última temporada do futebol internacional, mais especificamente para o europeu, conseguimos perceber que a geração de 1999 (jogadores com 19 ou 20 anos) afirmaram-se em campo e conseguiram fazer parte das equipas principais. Muitos desses jovens jogaram no onze inicial o que acabou por lhes dar mais valor, tendo em conta a qualidade dos mesmos. É no mercado de verão (vendas e transferências) acabaram por valer milhões.

Como exemplo: João Felix, De Ligt, o guarda-redes Donnarumma, Justin Kluivert, Kai Havertz, os portugueses Diogo Dalot, Florentino, Gedson Fernandes e Jota. Que não só mostraram que tinham qualidade mas que também tinham atitude, responsabilidade e maturidade para jogar com os “grandes”.

Mas se os jovens talentos mencionados acima chegaram à ribalta do futebol europeu com 19 anos, então o que falar de Eduardo Camavinga que já faz estragos antes sequer de ter 17?! Nasceu em 2002, tem 16 anos e só completa os 17 em novembro. Camavinga chegou à equipa principal dos franceses Stade Rennes FC no final da temporada passada. Julien Stéphan – treinador que levou o clube a vitória e à conquista da Taça de França na final contra o PSG – foi o responsável de por o jogador angolano na equipa A.

No domingo, 18, na segunda jornada da liga francesa, os atuais campeões em título voltaram a enfrentar o Rennes e voltaram a perder, e a história repetiu-se , perderam depois de estarem a ganhar. Cavani colocou a equipa de Thomas Tuchel em vantagem e Niang, com um grande golo, empatou tudo ainda antes do intervalo. Logo no início da segunda parte, Del Castillo confirmou a reviravolta do Rennes e o PSG perdeu mesmo pela primeira vez esta época.

E com apenas 16 anos, Eduardo Camavinga assistiu Del Castillo para o golo da vitória. O médio angolano foi titular no meio-campo da equipa de Julien Stéphan e mostrou ser uma peça importante para a conquista dos três pontos (terminou o jogo com mais de 97% de acerto de passe e dez duelos ganhos em 16 realizados) e foi considerado o melhor jogador em campo. 

Com o passe para golo, Camavinga tornou-se no jogador mais novo a assistir na liga francesa pelo menos desde 2006/07. O jornal L’Équipe – conhecido pela renitência em atribuir classificações individuais altas – deu-lhe nota 8 pela sua prestação em campo.

Com 1,82 metros, apesar de ainda ser adolescente, Camavinga assinou o primeiro contrato profissional até 2020 com o Rennes apenas no passado mês de dezembro e estreou-se na equipa principal em abril, num empate contra o Angers, tornando-se o jogador mais novo de sempre a atuar pelo clube francês.