Depois da primeira edição em Oeiras, o festival já passou por Lisboa, Londres (Inglaterra), Xangai (China) e também Rio de Janeiro (Brasil). O Festival Iminente regressa a Lisboa, no Panorâmico de Monsanto, onde vai juntar música com arte, conversas e a melhor vista sobre Lisboa, durante quatro dias.

festival conta com curadoria de Vhils, da plataforma Underdogs, e das editoras Enchufada, Príncipe e Versus, numa parceria conjunta com a Câmara Municipal de Lisboa. O evento que junta musica à arte urbana desde 2016, está marcado para os dias 19, 20, 21 e 22 de setembro.

O cartaz deste ano conta com uma grande surpresa que vem diretamente dos Estados Unidos da América. Lonnie Rashid Lynn, Jr., mais conhecido como Common, o rapper e ator que fala de amor, espiritualidade e usa a sua voz como ferramenta do ativismo e a defesa dos Direitos Humanos.

View this post on Instagram

Não é em todo o lado que há um palco assim. Nos dias 19, 20, 21 e 22 de Setembro, o #festivaliminente regressa a Lisboa depois de ter passado pelo Rio de Janeiro, Xangai e Londres. São só 5000 bilhetes diários para ocupar o Panorâmico de Monsanto com música, arte, conversas e a melhor vista sobre Lisboa. Para mais info sobre como conseguires BILHETES 👉🏽 @festivaliminente (link na bio)⠀ ⠀ //⠀ Not every place has a stage like this one. On 19, 20, 21 and 22 September, #festivaliminente returns to Lisbon after having made its way through Rio de Janeiro, Shanghai and London. There are only 5000 day tickets to occupy the Panorâmico de Monsanto with music, art, talks and the best view over Lisbon. For more info on the TICKETS 👉🏽 @festivaliminente (link in the bio)⠀ ⠀ – ⠀ Common // Mayra Andrade // Apollo G // Classe Crua // Just Blaze// Dealema // Beatbombers // A-WA // David Bruno // Mynda Guevara // Shaka Lion // Força Suprema // Bulimundo // Cachupa Psicadélica // Kappa Jotta // Palheta Jazz Trio // Omiri // Vado Más Ki Ás // Abdel Queta Tavares // Aka Corleone // Ana Aragão // Blac Dwelle // Colectivo Rua // Francisco Vidal // Gonçalo Barreiros // Herberto Smith // Sosek X Kaur X Coxas X Thiago Nevs // Maria Imaginário // Rita RA // Sara Morais // Tamara Alves // Thunders Crew // ETC… ⠀ – ⠀ #Festivaliminente #OMelhorÉFicaresEmCasa #YoudBetterStayHome #iminentefestival #iminente #Music #Musica #Art #Arte #livemusic #performance #talks #happenings #underdogs #underdogsgallery #Vhils #lisbon #panoramicodemonsanto @camara_municipal_lisboa @superbock @corujasuperbock @samsungportugal @havanaclub @rvca_portugal @seatportugal @uber_portugal @bestravel.viagens @carris.pt @visitportugal @visit_lisboa @jfbenfica @moche @selina @antena3rtp @gerador.eu @rtppt

A post shared by Festival Iminente (@festivaliminente) on

Para além da novidade acima mencionada, a programação musical inclui atuações de, entre muitos outros: os cabo-verdianos Bulimundo e Mayra Andrade, a brasileira Linn da Quebrada, os portugueses Dealema, Pedro Mafama, Classe Crua (projeto que junta Sam the Kid e Beware Jack), Beatbombers (DJ Ride e Stereossauro), David Bruno, Deau, Fado Bicha, Filho da Mãe, Fred, Mynda Guevara, Kappa Jotta, Omiri, Scúru Fitchadu e Vado Más Ki Ás.

Ao longo dos quatro dias, marcarão presença no festival os seguintes artistas visuais: o guineense Abdel Queta Tavares, o luso-angolano Francisco Vidal, o luso-santomense Herberto Smith, os brasileiros Sosek, Kaur, Coxas e Thiago Neves, e os portugueses Aka Corleone, Ana Aragão, Blac Dwelle, Colectivo Rua, Gonçalo Barreiros, Maria Imaginário, Rita RA, Sara Morais, Tamara Alves, Thunders Crew, Miguel Januário (com o projeto ±maismenos±) e Vhils.

Tiago Silva, organização do Festival Iminente, garantiu que o cartaz acaba por ser “um pouco iminente (…) artistas já consagrados, mas com projetos novos, artistas consagrados que nunca tocaram em Portugal, como é o caso de Common, e artistas que nunca sequer tocaram [ao vivo]”. “É um pouco isso a nossa filosofia.”

“O que há a destacar é mesmo esta diversidade a quantidade de coisas que se vão passar. Começa sempre o dia com ‘talks’ [conversas], organizado por Fumaça ou Gerador, e depois temos sempre várias coisas a acontecer: música, artes visuais, performances, dança com ‘bboys’, skate. Desde as 15:00 até às 02:00 há sempre algo a acontecer”, acrescentou.

Os bilhetes para o festival, que este ano têm um custo de 15 euros por dia (não são vendidos passes), são limitados a cinco mil e estarão à venda no dia 02 de setembro a partir das 16:00, nos locais habituais. Podes saber tudo sobre o festival no site oficial.