Kalaf Epalanga foi anunciado como curador do African Book Festival 2020 de Berlim, que acontece de 17 a 19 de abril do próximo ano, com o tema “Contando as histórias originais”.

Na edição de 2018, escritores de todo o continente africano reuniram-se em Berlim para o African Book Festival, com o americo-nigeriano Chris Abani como atração principal. Centenas de pessoas fizeram-se presentes no Teatro Babylon para apresentações de livros, leituras, poesias, shows, entrevistas e painéis de discussão. Com curadoria de Olumide Popoola, o festival analisou o transnacionalismo e a migração num sentido mais literário de “manter-se em movimento”. O festival retornou em 2019 com o autor e cineasta Tsitsi Dangarembga como curador e Ben Okri como convidado principal, com o tema “Transição da migração”.

Em 2020, o curador do evento é o músico e autor Kalaf Epalanga. A viver atualmente entre Berlim e Lisboa, como músico, Epalanga co-fundou a gravadora Enchufada, uma plataforma criativa e dinâmica que promove novos estilos musicais de Lisboa em todo o mundo, e fez parte da banda vencedora do MTV Europe Music Award, Buraka Som Sistema.

Escreveu uma coluna regular de curtas crónicas literárias para o jornal português Público, GQ Magazine (Portugal), a revista independente angolana Rede Angola e colabora regularmente com a revista literária brasileira Quatro Cinco Um.

Publicou em Angola e Portugal duas coleções de crónicas literárias, Estórias de Amor para Meninos de Cor e O Angolano que Comprou Lisboa (por metade do preço).

Também os Brancos Sabem Dançar, publicado em Angola, Portugal e Brasil, é o seu primeiro romance e foi aclamado pela crítica no mundo da língua portuguesa.