Os PALOP são uma fonte rica de jovens empreendedores que se tornarão nos líderes de amanhã. Mário Lopes é um desses exemplos. São-tomense, o jovem tem quebrado barreiras e ajudado a elevar o nome do seu país.

Mário Lopes é considerado uma das promessas dentro da política do arquipélago situado no Oceano Atlântico. A sua luta pelos direitos dos jovens e pela promoção de políticas para a juventude fez com que concorresse na categoria de futuro jovem líder do ano nos YALSUMMIT (Young African Leaders Summit). Uma organização que junta grandes mentes africanas, num só lugar com o objetivo de valorizar e premiar os seus feitos.

Trata-se fundamentalmente de um fórum que incentiva a troca de ideias e interação entre jovens líderes de todo o continente africano. Classificado como um dos maiores eventos nesta categoria em África, os YALSUMMIT vão acontecer entre os dias 22 e 23 de novembro de 2019, em Acra, Gana. As votações estão abertas (podes votar até dia 15 de outubro) e, neste ano, São Tomé e Príncipe será representado por Mário Lopes na categoria de “Futuro Jovem Líder do Ano”.

Mário Lopes nasceu em São Tomé e Príncipe e desde muito cedo começou a desenvolver capacidades no ramo do voluntariado e ativismo ambiental, tendo inclusive dado asas à sua veia literária, sob o olhar bastante atento da sua então mentora, a falecida poetisa Alda do Espírito Santo.

Mário começou a trilhar o seu brilhante percurso em Portugal. Foi nomeado provedor do Estudante do Instituto Politécnico de Beja (IPBeja), tendo sido o primeiro provedor do Estudante com menos de 40 anos e de origem africana. A sua função como provedor terminou em Outubro de 2018 mas durante o seu mandato, Lopes criou pontes que permitiu, até o findar das suas missões, levar aproximadamente 100 estudantes da Guiné-Bissau para estudarem no IPBeja, a criação da casa da lusofonia e a criação de um protocolo de cooperação entre o IPBeja e os estudantes são-tomenses, com benefícios bastante notáveis.

O ativista social não pára, sendo que é também Vice-Presidente da Conexão Lusófona, que carateriza-se por ser uma das maiores redes de partilha de conhecimento entre os jovens das comunidades lusófonas e não-lusófonas. Também foi um dos co-organizadores do evento TEDxSãoTomé, que aconteceu pela primeira vez no país em 2013. Mário é ainda fundador e diretor da STP Digital, uma das plataformas digitais de notícias mais influentes em São Tomé e Príncipe. Incansável, as suas funções não param por aqui, pois o jovem é também representante do Comité Nacional da Junventude STP (CNJ STP) em Portugal.

A exposição da polémica “Agripalma”, sobre o ressuscitar da indústria do óleo de palma em São Tomé, também teve a sua mão. Lopes, juntamente com o apoio de outros jovens, como o ativista social Guedes Medeiros, conseguiu contornar a problemática da desflorestação da Biosféra em São Tomé, em prol da plantação de palmeiras para a produção de óleo de palma, e impedir que o processo fosse avante.