Na correria da vida, poucos são os que correm sozinhos. O sucesso é algo que se vai alcançado pouco a pouco durante a caminhada, mas tendo sempre em conta que os valores devem permanencer intactos, assim como a fidelidade a nós mesmos. Uma vez, Albert Einstein disse que “o Homem deve procurar ser um Homem de valor, em vez de ser um Homem de sucesso”, uma afirmação que faz parte da vida de Vado Más Ki Ás. Abaixo vais perceber o porquê.

A 24 horas de lançar o seu primeiro álbum de originais, marcámos uma conversa – que é o nono episódio do podcast Negócio da Música – com o rapper da Linha de Sintra, para sabermos mais acerca deste seu primeiro grande projeto.

Já se fazia tarde, eram aproximadamente nove horas da noite, ouviam-se rajadas de vento e uma brisa fria sempre que a porta do FLUXSLA se abria. Havia movimento, entravam e saiam pessoas, uns para o estúdio de captação e gravação de música, outros para o lounge que o espaço oferece e outros para a sala de podcast, onde a BANTUMEN se encontrava.

Sem dar-mos conta, ouviu-se de fundo um “como é que é familia?!”, era o Vado, com aquele sorriso e humildade que lhe são tão características. Não estavámos no Reino Unido e não eram cinco da tarde mas, enquanto conversavamos, bebiamos chá a aquecer a alma e o corpo.

O álbum que tem vindo a preparar há dois anos, de nome Vitórias & Privilégios, retrata a sua trajetória. O título tem um significado especial para Vado. “Vitória por causa da minha filha que tem esse nome. Na altura ela ainda estava na barriga mas já a sentia como uma vitória para mim. E privilégio por ter conseguido ganhar o meu espaço dentro do Hip Hop”, afirmou Mas Ki Ás. Entre 2018 e 2019, o rapper marcou presença em países e palcos onde nunca pensou cantar, como o Altice Arena, Reino Unido, entre outros.

Longe vão os anos em que começou a fazer as primeiras rimas. Tudo teve início aos 12 anos. As memórias que tem são de cantar sempre no bairro, com os amigos [Más Ki Ás] que chama carinhosamente de “minha família”, ou em festas municipais do seu e outros bairros. Sempre o fez por e com amor. Pela arte em si. Hoje o amor é mais maduro e tem outra responsabilidade. “A diferença é que hoje sou pago para fazer o que gosto. É muito gratificante crescer dessa forma, é um trabalho de anos.”

Vitórias e Privilégios é o fruto da criatividade do rapper, é uma construção com uma estrutura diferente e com um conteúdo que possa agradar a todos, resultado dos singles que foi lançando ao longo do tempo e com eles “angariar” mais seguidores da sua música. Apesar de todas as dificuldades que sentiu para dar vida a este projeto, Vado sempre manteve os pés bem assentes na terra porque, no fim de tudo, tudo se resume ao esforço e à dedicação pessoal.

A sonoridade é abrangente e passa pelo Afro-beat, Trap e Boom Bap. Gang, Lil Star, Sebeyks, Marta Pereira e Hélio Batalha são algumas das colaborações que se podem ouvir no LP, já a produção ficou a cargo de nomes como El Condutor, Katana Produções entre outros. O álbum acaba por ser uma história cantada, de vivências e experiências, de sonhos, valores e vitórias. Onde o crioulo se funde com o português para alcançar mais pessoas, mas também para que Vado não se deixe limitar apenas por uma língua. “Gosto de misturar as duas línguas, tenho facilidade em fazê-lo”, acrescentou.

O álbum representa também o amor que sente pelo Bairro 6 de Maio, e a luta vencida de quem foi excepção à regra do que a sociedade espera de um jovem negro.

Vê a entrevista na íntegra abaixo.