Luís Anderson é o nome do rapper Monsta ou “o problema” que tem trabalhado há muito tempo para o crescimento do rap feito em português.

Em véspera de mais um aniversário de vida, Monsta disponibilizou o seu EP que tem o título de Da Bwala.

Bwala é um termo proveniente da língua kimbundu, falada em Angola, na zona de Luanda, Malange, Bengo e arredores. Bwala significa bairro, aldeia ou simplesmente “gueto”.

Em conversa com a BANTUMEN, o artista explicou que “para além de ser o sítio de onde um gajo é proveniente, é uma questão de fortificar uma identidade”.

No EP, o rapper traz um conjunto de sonoridades que fizeram dele o artista que é actualmente. “É a volta do Monsta do ‘Get Down’, ‘I Go Deep’, ‘Trafulha’… É uma mistura de sabores provenientes da Bwala”, contou o artista.

Monsta traz participações bem conhecidas do público angolano como Edgar Domingos, Algo Desconhecido, Deezy, T-Rex, Kelly Veiga, Mané Galinha e LipeSky.

Monsta escolheu estes artistas por terem algumas características em comum com ele. Como a Kelly Veiga que “tem a teimosia que eu tinha quando tinha a idade dela”, sobre o Edgar Domingos que “tem uma alma muito kudurista, tipo eu” e o “Mané Galinha é a garra, porque eu já via o puto a passar por bué de situações e o nigga está a bazar comigo para o show no Alentejo”.

O EP conta com seis músicas que simbolizam “a minha ausência durante seis meses” e essas seis músicas foram lançadas com vídeo. A realização dos mesmos estiveram a cargo de CLOUT, Sílvio Moreira e Atlas Videos. Na produção musical conta com ZALA, Algo Desconhecido, Teo No Beat, Mallaryah e Mr. Carly.

Monsta teve a sua última participação na mixtape Cozinha Aberta Vol. 3 – Edição Pitbull, onde “cuspiu” nas músicas “N.N.M”, “TÁ BRINKÁ COM KEM?”. O seu último projecto lançado que antecede o seu EP tem o título de “Cuida de mim”, com a participação de Kelly Veiga & Beatoven.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".