Wine é o cabeça de lista do top dos artigos mais clicados desta semana que acaba de terminar. No segundo lugar ficou Akon e sua cidade ao estilo de Wakanda, seguido do novo single dos Rapaz 100 Juiz, a história dos três homens que passaram 36 anos presos por um crime que não cometeram e a entrevista ao Teatro GRIOT pelos seus dez anos de atividade.

“Estúdio”: Wine TKK tem novo single

Wine TKK
Wine TKK | Imagem IG

Na última entrevista de Wine TKK, aqui na BANTUMEN, o rapper de Queluz [Na Linha de Sintra] prometeu novidades para este ano ainda. A promessa foi cumprida e já está disponível nas plataformas de streaming “Estúdio”, o novo single.

Akon já começou a construir a sua própria Wakanda

Entre a criação da sua própria criptomoeda, AKoin, e a promessa de levar eletricidade a 600 milhões de pessoas no continente africano, Akon está agora a construir “silenciosamente” a sua própria cidade “futurista” no Senegal. O projeto urbanístico vai carregar o seu próprio nome.

De Cabo-Verde para o mundo, um “Souvenir” dos Rapaz 100 Juiz

Rapaz-100-JUIZ-PIB

Numa publicação nas redes sociais o grupo disse que é com enorme orgulho que anuncia o novo EP, intitulado de Souvenir. “Esse é um pequeno presente aos que têm viajado connosco há quase 14 anos de muita entrega e um excelente feedback. Souvenir vai estar disponível em dezembro de 2019, o mês ideal para presentear quem tem muita importância para nós e fechar o ano em grande!! Por isso resolvemos presentear-vos… “

36 anos depois, estes homens foram libertados por um crime que não cometeram

Foto: Matt McClain/The Washington Post)

Três homens de Baltimore, no leste dos Estados Unidos, que passaram 36 anos na prisão pela morte de um adolescente em 1983, foram ontem declarados inocentes.

“Estes três homens foram condenados quando eram jovens por uma atuação errada da polícia e da Procuradoria”, afirmou ontem a procuradora do estado de Baltimore, Marilyn Mosby, após os três visados terem sido formalmente declarados inocentes por um juiz local e libertados da prisão.

10 anos de GRIOT: “Há uma coerência no nosso trabalho e isso fez-nos ganhar a confiança”

Teatro Griot / Foto: Olson Ferreira/ BANTUMEN
Teatro Griot / Foto: Olson Ferreira/ BANTUMEN

Daniel Martinho, Gio Lourenço, Matamba Joaquim e Zia Soares são os corpos negros que dão vida ao GRIOT, numa equipa onde os colaboradores são tantos, mais do que os dedos das mãos possam contar. A génese dos Griot só o é devido às pessoas que trabalham em conjunto para que as histórias possam ser contadas. O espectáculo é de todos para todos. Desde a equipa de produção, cenários, comunicação, guarda-roupa e som.