Gerson Calueto é um jovem angolano residente em Portugal que tem chamado a atenção pela sua empresa GC Entertainment, que produz e cria conteúdo digital, além de agenciar, distribuir e produzir artistas musicais.

E é este último ponto que nos interessou. A GC Entertainment é agora responsável pelo Projeto Ascensão, criado no final de 2015 pelo comunicador e entusiasta da cultura hip-hop Edivaldo dos Santos. Na altura, o grupo era composto por S-Bruno, Sentinela, Dallas Furia, Olibreezy, Maximus, Edgar Leal, Phedilson, Killer MC, Absinto, Leonardo Freezy e AL MC. Agora, reduzidos para quatro elementos, Sentinela, Phedilson, S-Bruno e Leonardo Freezy, o conjunto chama-se apenas Ascensão e está focado no crescimento da sua carreira.

Convidamos o mais novo empreendedor musical para o podcast O Negócio da Música, para explicar como conseguiu assinar um dos grupos como mais credibilidade no mercado angolano.

Antes, também falámos com Edivaldo dos Santos para perceber como perdeu a gestão do projeto. Ao telemóvel Edivaldo explicou que sabia das negociações e que não se tinha sentado com os rapazes para saber o que estava a acontecer. Assim, acabámos por não clarificar o que levou o afastamento de Edivaldo do projeto que ajudou a crescer. Segundo Gerson Calueto, quando interpelou os rappers, estes já estavam desvinculados de Edivaldo dos Santos.

O fundador e PCA da GC Entertainment explicou durante o podcast como surgiu o interesse nos rapazes e por que deixaram de usar Projecto no nome.

Além deste podcast a BANTUMEN está também a preparar um artigo, elaborado pelo redator Bruno Dinis, sobre todo o percurso do (ex-projecto) Ascensão, com entrevistas aos atuais membros Sentinela, Phedilson, S-Bruno e Leonardo Freezy.

Gerson também avançou que os quatro rappers estão em estúdio a trabalhar no primeiro álbum do grupo, que está a ser gravado não apenas para um público angolano, como também português. O grupo promete edição e venda física em terras de Camões no primeiro semestre de 2020.

O empreendedor também explicou o que tem falhado para a música angolana, em especial o hip hop, que não tem vincando além dos PALOP.

A GC Entertainment, além dos rapazes da Ascensão também agencia um dos grandes nomes do Kuduro atual em Angola, Rei Panda, a cantora Stelvia e a brasileira com pais angolanos Mc Na Voz.