Pedro Leandro Pereira, ou simplesmente Lil Swag D.K Tarantino, é o nome do mais novo talento do rap feito em Angola e em português.

Dá-se pelo nome de tarantino a quem nasce na província de Taranto (Itália) mas Lil Swag nasceu em Luanda, mais propriamente no município do Sambizanga, em 1996. Foi no Bairro Operário, no coração da capital angolana, onde o jovem artista cresceu com a presença forte e educação rigorosa dos seus pais.

Em conversa com a BANTUMEN, o artista fez revelações inéditas sobre sua vida em geral, vida artística e o seu futuro dentro do mercado do rap.

O jovem artista afirma-se como sendo “fascinado pela música” e “alguém que adora ter liberdade naquilo que faz”. Na sua vida, há dois episódios fortes, o curso superior de Engenharia Civil e a perda do seu pai.

Com a morte do seu pai, Lil entrou numa depressão e acabou por procurar consolo. “Decidi compor mais vezes para sair desse estado”, em 2011.

Lil Swag D.K
Lil Swag D.K | Imagem Divulgação

A perseverança da sua irmã mais velha, que “passava a vida a imitar a Shakira”, serviu de inspiração para o rapper. A sua motivação levou-o a começar a pensar n em ser músico.

A partir daí, a história é semelhante a tantas outras dos iniciantes nos meandros da música: a falta de condições de produção e gravação de música. Contudo, nada que demove-se Lil Swag de perseguir o seu objetivo. “A minha primeira música foi gravada quando eu e o meu amigo Lari Shaine juntamente com o Martín Gabriel decidimos fazer um rap. Foi uma gravação bem amadora. Foi o princípio da formação do músico que eu pretendo ser hoje”.

Em 2014 pisou pela primeira vez um palco. “Foi uma experiência boa, mesmo vendo o público rindo da música que tinha sido apresentada na altura”.

Até agora, o rapper já trabalhou com Willy Barowey, Lari Shaine, Martín Gabriel, Kalifornia, Bird Cash, Chick Babe e outros artistas pouco conhecidos, mas na área de produção musical, o Lil já teve a oportunidade de trabalhar com Dj Master.

O rapper diz ter influências dos artistas NGA, “devido à atitude e poder na composição”; C4 Pedro “pela estrada”; Prodígio “pela capacidade de liderança”; G-Son pelos “trocadilhos e as notas vocais”; Deezy pela “sua versatilidade” e o rapper Abdiel que “fala o que lhe vem a mente”.

O facto de não ter ainda um álbum ou mixtape no mercado tem uma explicação plausível. “Quero aprimorar a minha capacidade de composição. Não tenho pressa de nada porque acredito que a fórmula do sucesso parte de um trabalho árduo.”

Lil Swag tem ainda uma vontade, que poderá, quem sabe, acontecer: ser apadrinhado, em termos de expertise, pelos artistas Monsta e G-Son, membros da DopeBoyz e Wet Bed Gang respectivamente. “Eles são muito bons compositores, estão acima da média”.

No que toca a palcos, em Angola, o jovem artista do bairro Operário tem o grande sonho de pisar no “Show Unitel” e no “Show da Virada”, dois dos mais famosos do país. Além fronteiras, e diz humildemente a “actuar em qualquer local em que seja bem-vindo”.

O último vídeo do rapper foi lançado em janeiro e tem o título de “Sonho”, onde o artista reflecte sobre as suas ambições para o futuro dentro da música.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".