A lista dos artigos mais lidos na BANTUMEN esta semana começa com Serena Williams e as escolas que abriu em vários países africanos e na Jamaica. Segue-se a vitória da sul-africana Zozibini Tunzi no Miss Universo deste ano, as entrevistas a Axel G e ao grupo OTAN e, por fim, o JaneCast com Clay.

Serena Williams construiu escolas na Jamaica, Uganda, Quénia e Zimbabué

Serena Williams
Serena Williams

Serena Williams foi a “Mulher do Ano” pela revista GQ em 2018, depois de ter sido mãe. O seu talento no ténis é reconhecido em todo o mundo, é uma das melhores tenistas da história. Venceu 23 torneios de Grand Slam e três medalhas de ouro Olímpicas, entre outros prémios. Apesar de não ter ganho, foi finalista dos Grand Slams de Wimbledon e do Open dos Estados Unidos em 2018.

Sul-africana Zozibini Tunzi é a nova Miss Universo

Zozibini Tunzi
Zozibini Tunzi

Zozibini Tunzi, da África do Sul, venceu no domingo a competição Miss Universo 2019, tornando-se a primeira mulher negra a vencer desde 2011, quando Leila Lopes, de Angola, arrecadou o título.

Tunzi, de 26 anos, natural de Tsolo, é a terceira sul-africana a ter sucesso na história desta competição, conquistando o público e o júri com as suas ideias contra o racismo e o machismo, venceu a gala realizada neste domingo à noite em Atlanta, Estados Unidos.

Axel G: “O rap é sem dúvida a melhor companhia que tenho”

Axel G
Axel G | Imagem BANTUMEN

Axel é o nome de um jovem rapper que se mudou para Portugal com apenas um ano. Começou a dar os seus primeiros passos dentro da arte quando entrou para o movimento jerkin’ – movimento de dança proveniente de Los Angeles, Califórnia do Sul, EUA. Começou em 2008 e ganhou popularidade à volta de todo o mundo, graças também ao grupo New Boyz – que em Portugal tornou-se muito popular no início da década de 2010.

OTAN, a persistência faz a diferença

OTAN

Cada dia que passa há o nascimento de um novo artista ou grupo. É o caso da OTAN, um grupo angolano que prima pela boa música feita em português, dentro do movimento hip hop.

Fundado há três anos, o conjunto é formado por cinco jovens, com idades compreendidas entre os 20 e 24 anos, residentes em Angola.

Em conversa com a BANTUMEN, o grupo explicou alguns detalhes sobre o seu surgimento, desafios e ambições para o futuro.

Janecast com Clay, o homem com muito piripiri na Língua

Clay
Clay | Foto : Janeth Tavares

O homem que na língua não tem papas, só piri-piri, Shorty Clay o rapper, ou Clay o youtuber (do canal Piri-piri na Língua), esteve à conversa no JaneCast. Clay afirma que o grande objetivo do Piri-piri na Língua é muito mais que música, é intervir na sociedade de forma positiva, fazendo as pessoas pensarem. “Estou a prestar um serviço público”.

“Sinto que hoje posso fazer pela música muito mais que cantar. Mais do que a forma como as pessoas vão olhar para mim, quero mudar a forma como as pessoas vão olhar para a música”.