O continente africano é, sem erro, um dos mais prolíficos, culturalmente falando, e que exporta além fronteiras um universo musical riquíssimo que transcende gerações e tradições.

Músicos como Davido, Wizkid e Burna Boy são agora estrelas globais e o interesse pela música africana nunca esteve tão em alta como atualmente.

A riqueza da musicalidade do continente berço deu no ano de 2019 um pulo considerável, tendo visto cantores de renome internacional em colaborações com músicos africanos, e alguns artistas africanos a serem tendência nas mais badaladas pistas de dança do mundo.

Exemplo disso é Beyoncé que escolheu algumas das maiores estrelas do continente para colaborar no seu álbum inspirado no filme Rei Leão, como Yemi Alade ou Burna Boy, e também tivemos registos de músicos africanos a passarem por palcos super badalados, como o festival anual de música Coachella.

Aproveitamos a boa fase que a comunidade musical africana está a atravessar e criámos uma lista de artistas quenão vão poder faltar na tua playlist em 2020.

Joeboy (Nigéria)

Joseph Akinfenwa Donus, conhecido profissionalmente como Joeboy, é um cantor e compositor afro-pop nigeriano. Em março de 2019, Joeboy lançou a música de amor “Baby”, que alcançou o top 10 das tabelas da Apple Music na Nigéria, Uganda e Quénia. A mesma música também  teve um registo de  18 milhões de visualizações em nove meses no YouTube.

Com a sua voz comovente e expressões apaixonadas, o cantor nigeriano emprega  os seus versos no estilo Afrobeat e também tem algumas músicas Pop. O  Seu single “Beginning”  foi muito  bem recebido. No final de Novembro, o cantor lançou um EP intitulado Love & Light.

O artista tem alcançado a fama  de uma foma surpreendente e com base apenas nessas duas músicas do EP, já está a ser solicitado para atuar em vários países africanos e já tem apresentações registadas no Reino Unido.

Sheebah Karungi (Uganda)

Sheebah Karungi é uma artista, dançarina e atriz natural do Uganda, que estreou a sua carreira de atriz no filme ” Rainha de Katwe”, com o personagem Shakira.

Com uma carreira de sucesso no seu país natal, a música de Sheebah já atingiu fronteiras inter-continentais. Dona de  uma voz vibrante, Sheebah é uma artista em ascensão.

Brian Nadra (Quénia)

Brian Nadra está nos holofotes desde 2017, com o lançamento do seu primeiro single, intitulado LEO.

O cantor e compositor queniano se intitula como sendo o embaixador da cultura pop da África Oriental. Até à sua ascenção, o Quénia não tinha muitos cantores de sucesso internacional.

Brian é um rapper com um estilo único, saiu da sua zona de conforto, no R&B, para experimentar outros géneros musicais, incluindo reggae.

Innoss’B (República Democrática do Congo)

Partindo da música tradicional congolesa, Innoss’B traz um som moderno e jovem à sua música. Com o seu estilo único e movimentos de dança, o jovem de 22 anos dança ao ritmo do seu próprio tambor. Este ano, o cantor lançou o single Yo Pe , que foi uma colaboração de sucesso com a estrela tanzaniana Diamond Platnumz. Em três meses, o videoclipe recebeu mais de 14 milhões de visualizações no YouTube.

Innoss’B conseguiu combinar o famoso som de rumba da República Democrática do Congo com R&B e Afrobeats.

Sho Madjozi (África do Sul)

Maya Christinah Xichavo Wegerif, mais conhecida como Sho Madjozi, é uma rapper, cantora, atriz, poeta e compositora sul-africana..

Não há como parar Sho Madjozi. No início deste ano, a artista de hip hop sul-africano venceu o BET Best New International. A artista está a transformar a música gqom da África do Sul – que é apenas instrumental e um subgénero do kwaito techno – com rap em vários idiomas.