Paula Cardoso vive da escrita há 16 anos. É assim que começa a sua descrição no LinkedIn. Mas a escrita é apenas uma ínfima parte do que a descreve como profissional. Dentro do jornalismo, passou pela revista Visão, integrou a equipa que lançou o jornal Sol e dirigiu a equipa online do Novo Jornal, em Angola.

Entretanto, instigada pela necessidade de descobrir e despertar a sua própria identidade, criou uma rede de partilha entre os profissionais dentro da comunidade negra em Portugal, o Afrolink, e está a desenvolver uma série de contos infantis que promovem o empoderamento de crianças afrodescendentes.

Convidada do 23.º episódio do BANTUMENPodcasts, dirigido por Eddie Pipocas, Paula falou-nos do Afrolink e a ideia por trás do projeto. Para já, é um grupo fechado no Facebook, que, numa primeira fase, pretende perceber “quem somos, quantos somos e o que fazemos”. Posteriormente, “a partir deste levantamento, da troca de sinergias e da partilha de experiências, estaremos em condições para sair do grupo fechado e influenciar em ‘canal aberto’. Ou seja: o Afrolink passará a ter um site que, embora reservado exclusivamente à promoção de negócios e de profissionais negros, estará acessível a todos”.

Nesta conversa informal, que decorreu num café lisboeta, a jornalista e empreendedora deu-nos também o seu ponto de vista sobre o racismo institucional e como este deve ser debatido e combatido.