Escolher onde passar o último dia do ano é sempre uma tarefa dificil e até um pouco frustrante.

Não só temos de escolher o tipo de música que gostaríamos de ouvir, como também temos de decifrar em que espaço preferíamos estar.

Este ano, a escolha foi fácil e a BANTUMEN teve o prazer de estar presente numa das festas mais procuradas de Lisboa, Bailacobaco, que foi organizada por Shaka Lion, um dos DJs mais ouvidos em Lisboa.

A festa aconteceu no dia 31 de Dezembro no Gate 67, no Beato, área conhecida por ser a casa de várias startups, o que faz com que a festa encaixe perfeitamente no contexto.

O cartaz em si diz muito sobre a essência, diversidade e inclusividade da festa.

O espaço quase que parece uma galeria de arte abandonada, com paredes rústicas e arcadas espalhadas pelas salas.

A decoração oferece um ar mais suave à formalidade que o espaço carrega, com luzes coloridas e folhas de palmeira que representam o tipo de música “tropical” tocada.

A Equipe Explosão tocaram os hits de funk que fizeram parte da década de 2010 e que bombaram não só no Brasil, mas também em Portugal.

Os fãs de funk e afrobeats não tiveram de se preocupar em escolher entre os dois estilos de música, porque Cara//Vag//Yo fizeram questão de mostrar que, mesmo distintos, os dois estilos musicais funcionam muito bem juntos.

Shaka Lion deixou um gosto de afrobeats, miturado com hip-hop e música suave brasileira, mostrando o lado mais soft da música que vem do seu país natal, o Brasil.

Ainda falando de música do continente americano, DJ Fabz esteve presente para mostrar o que a América do Norte tem para oferecer, com sons de R&B e hip-hop.

Dj firmeza e DJ Maboku representaram a editora Príncipe Discos e o continente africano com os seus beats que com ritmos diretamente de Angola para a pista do Gate 67.

As vibes africanas não ficaram pelo tipo de música, na pista de dança era notável a presença de cabelos afros, braids e rapazes de cabelos às ondas.

E para completar todos os requisitos que compõem uma festa africana, a pista também teve a presença de uma roda, onde os que queriam mostrar os seus dotes de dança podiam fazê-lo sem modéstia.