Preto Show lança “Vai Devagar” com Anselmo Ralph

Preto Show convidou Anselmo Ralph para participar no novo single, “Vai Devagar”, que acaba de ser lançado.

Depois de lançar “My Love”, Preto Show “avançou” e lançou o vídeo da sua mais nova música, “Vai Devagar”, que retrata a estória de dois jovens, em que um deles apaixona-se por uma bela moça.

Com trajes descontraídos e simples, Preto e Anselmo transmitiram a realidade de muitos angolanos na luta diária de procura de formas de levar o pão para as suas famílias.

Numa tarde de sol, o vídeo desenrola-se no bairro Mártires do Kifangondo, em Luanda, e conta com a presença de zungueiras que fizeram papel de figurantes e deram um toque mais realista ao cenário.

Utilizando uma linguagem mais “terra a terra”, Preto Show fez rasgados elogios à jovem em questão dizendo que “ela é linda, ela é muito limpa” e Anselmo clama dizendo “vai devagar”, fazendo referência à paixão do amigo.

O vídeo tem as “lentes mágicas” de Maleff, produtor que já tem feito inúmeros trabalhos para artistas angolanos.

A música tem a produção de Teo No Beat que é autor de grandes hits como “Saia Dela”, de Filho do Zua, a masterização de Loperaz e letra de Preto Show, Lurhanny e Anselmo Ralph.

Além de Preto Show, Anselmo Ralph também está a preparar o seu álbum, que ainda não tem título e nem data anunciadas.

No ano passado, “o cupido” lançou o seu single promocional com C4 Pedro intitulado “Para Cuyar Mais”, que é um ghetto zouk, estilo que o artista também tem feito.

Logo alguns meses após este lançamento, Anselmo brindou aos seus fãs com um grande show “Best Of” em Dezembro, lotando assim a Arena Dream Space durante dois dias de boa música ao vivo.

Por parte de Preto, além de “My Love”, e a mais recente obra com Anselmo constará no álbum internacional a ser lançado ainda neste ano.

Preto Show que é ex-membro do grupo ” The Groove” lançou o seu primeiro álbum “Panamera” em 2017 e fez um gesto louvável aos olhos da sociedade em que, em vez de comercializar recebeu donativos para doar a crianças desfavorecidas.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".