“Binta”, o nome que dá vida ao novo single de Buruntuma

“Binta” é o primeiro single que abre caminho para os mais trabalhos que aí vêm, nomeadamente um EP e videoclip.

A representatividade e a necessidade de enaltecer África e a sua cultura está em crescimento, principalmente através das várias expressões artísticas. Muitos artistas africanos ou afro-descendentes, têm primado por essa via, e na música sente-se essa mudança.

E é disso que este artigo fala. Da ligação de África com a música. Buruntuma é a ponte que faz essa ligação. Desde que se lembra de ser DJ, que Buruntuma faz com que o continente esteja presente em cada compasso e ritmo da música que cria. Passando pela terra de Amílcar Cabral, Guiné-Bissau, até ao Quénia, Senegal, França, Suíça e Portugal.

E com todas essas viagens, nasce “Binta”, o seu mais recente single, fruto das suas experiências e da realidade que vive, onde África é o ponto central de toda a sua criatividade – não fosse o nome do DJ ser Buruntuma (uma pequena vila na região de Gabú, no nordeste da Guiné-Bissau).

“Binta é um nome feminino típico da África Ocidental. Não sei se tens reparado mas a minha comunicação passa muito pela imagem da mulher africana. No fundo, é mais uma homenagem que tenho feito à africanidade. Utilizei instrumentos típicos da África Ocidental (Kora, Djembes, entre outros” numa cena muito melódica, e com muita percussão”, explicou o DJ em exclusivo para a BANTUMEN.

O DJ e produtor guineense teve a agenda cheia em 2019 e em 2020 parece estar igual. Entre atuações na Europa e África, vai criando mais música que promete lançar ao logo do ano. “Binta” é o primeiro single que abre caminho para os mais trabalhos que aí vêm, nomeadamente um EP e videoclipe.