O chinelo é um acessório que muitos consideramos indispensáveis, seja para usar em casa ou na rua, por conforto ou por swag.

Independentemente do status social, todos, ou pelo menos quase todos, temos um par de chinelos e, por isso mesmo, a indústria da moda não poderia ser indiferente a este acessório que ganhou nova allure e até silhuetas nos últimos anos.

Cores lisas, riscas, estampas, com missangas, com pêlo, em pele, jeans, o acessório é quase um camaleão, que se adapta a qualquer estilo.

Mas se a nível visual estes podem agradar, a nível de saúde o caso muda de figura. Podológos afirmam que os chinelos são uma péssima opção e que resultam em sérias lesões a longo prazo, como a fascite plantar.

“O fato de ter que fazer força com os dedos dos pés para andar com o chinelo coloca muita tensão e pressão nos dedos e arcos”, afirma o médico Tariq Khan ao Daily Mail. “Para a maioria dos casos, anti-inflamatórios e sapatos apropriados ajudam. Uma vez que a inflamação tenha melhorado, receito massagens e alongamentos”.

No verão, quando mais usamos este tipo de calçado, é aconselhável fazer a transição de sapatos para chinelo de uma forma gradual, para que os pés e pernas possam se adaptar.

Os chinelos também podem ser a causa de pés rachados e ásperos. “O problema não é só estético. Rachaduras deixam os pés vulneráveis a infecções, funogs, bactérias e sujidade”, afirma por sua vez o podólogo Michael Ratcliffe.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".