Quem nunca esteve hospedado num hotel e teve vontade de levar uma “recordação” para casa? Pois é, a maioria provavelmente não admitiria mas é o que acontece com muitos de nós. E se achas que isto acontece com mais frequência em hotéis mais modestos, desengana-te. Os estabelecimentos de cinco estrelas têm vários relatos de furtos, alguns até surpreendentes.

As férias têm de ser memoráveis e a escolha do hotel é uma das peças importantes para que isso aconteça.

E a questão “memorável” serve para o cliente como, muitas vezes, para o hotel. Mas para este último, não é pelas melhores razões.

Chinelos de quarto, toalhas, roupões e até almofadas estão entre os objetos que mais desaparecem das acomodações rumo à terra natal do hóspede.

Mas o surpreendente é o que alguns funcionários dos estabelecimentos reportaram quando se aperceberam de certos “desaparecimentos” dentro dos quartos ou, até mesmo, em saunas.

via GIPHY

Pode-se dizer que alguns desses furtos estão classificados como os mais bizarros e insólitos de sempre.

Alguns clientes não se conformam em levar apenas um item “básico”. Há objetos que desaparecem da vista de todos sem sequer pensarmos que poderia ser possível.

Falamos de colchões, quadros e… até um piano, que desapareceu de um hall de entrada. Segundo um funcionário de um hotel na Alemanha, são frequentes os desaparecimento de certos objetos mas os mais bizarros foram os chuveiros, aparelho de som e até mesmo uma pia.

Em alguns países é “normal” ir ao hotel e sair com um objecto pertencente ao mesmo, mas isso a depender da nacionalidade de cada um.

Segundo a empresa alemã Wellness Heaven, surpreendentemente, o sabonete não é objeto mais furtado. A lista é constituída por 17 itens, o menos furtado são os colchões e os três mais roubados são as toalhas, seguido do roupões de banho e os cabides.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".