Ainda estamos no rescaldo do que aconteceu em 2019. Festas passadas, saldos quase, quase, terminados, e temos a vossa atenção sem distrações de maior. Queremos falar dos melhores trabalhos de hip hop angolano entre 1 de dezembro de 2018 até 31 de novembro de 2019.

Clica aqui e torna-te Patrono da BANTUMEN

Começamos com um álbum que foi lançado em dezembro de 2018, mas cuja projeção esteve no auge em 2019, Melhor União, da TRX;

Provavelmente, foi o álbum mais esperado da new school, com variações de estilos. “3 da Manhã” e “Vou Bazar”, com DJ Nilson, são alguns dos hits que fazem parte do projeto.

Na nona posição temos Yannick Afroman com Outros Mundos. O álbum foi lançado também no fim de 2018. Foi com a música “Bakongo” que o rapper conquistou o Top dos Mais Queridos, sendo assim, o primeiro artista de rap a levar o prémio mais importante da música angolana para casa.

Na oitava posição temos Kid Mc – com o álbum Décimo Quinto Ano. O single “Rap de Raiz” faz parte desse CD. Os que gostam de Boom Bap ou rap de dois tempos para abanar a abanar a cabeça com foco na mensagem conseguem se rever neste trabalho do Kid Mc.

OKWAMI com ¨6.7.19¨ chega-nos, por mero acaso, em sétimo lugar. Com sete músicas, o trabalho trouxe o que muitos álbuns com mais músicas não trouxeram. Maturidade na escrita, certeza na escolha dos instrumentais, reflexo da idade e tempo de estrada dos seus integrantes. Ressaltamos a o desabafo de Keita na música “ É Lei”.

ABBRA, no sexto lugar, é o ultimo álbum de Cage One, que se considera o Angolan Best Rapper Alive. É uma das maiores surpresas que tivemos em 2019. O flow de Cage One é invejável, verdadeiramente de um nível absurdo.

Young Double aparece-nos na quinta posição com Pra Sempre (EP). Foi praticamente a continuação do que fez em Conquistador (2017), conquistando os nossos corações com boas músicas, lembrando que continua a ser “filho” de Big Nelo, então, tal pai, tal filho.

Mobbers com Sob Pressão classificam-se nesta lista em quarto lugar. Este álbum só não fica no top 3 por causa das faixas, “Ke Balar Né”, “Corpo Dela” e “Atração ou Amor”, mas sem dúvida é um dos melhores álbuns do ano e lógico que merece fazer parte do top 10.

O terceiro lugar é de Christmas Pack2** de Laton e DH, que traz de volta o Laton da garagem, o lírico com versos políticos extremamente ricos, tiradas cómicas e referências inteligentes. Um artista que não cansa de surpreender, crescimento artístico ao lado de um dos melhores produtores de Angola, DH, que cria uma expetativa enorme a cada lançamento. Como o próprio rapper diz, Laton continua a ser um pilar do hip hop, “um dos soldados civis, aquele que ainda manda no teu block”.

Ora o segundo lugar deste ranking pertence a Naice Zulu e BC com É Confidencial. Foi o álbum surpresa, e a grande grande surpresa é entrar no top 2. Foi o cd que parou o país, principalmente os internautas, fazendo acordar os grandes fazedores de rap angolano pela ousadia da escrita que trouxe de volta a dupla que se encontrava há um bom tempo parada.

E o grande primeiro lugar vai para… Prodigio com Castelos. Sem dúvida nenhuma é o melhor álbum de 2019. Diferente do É Confidencial que parou a Internet, Castelos teve pouco impacto no mundo dos internautas mas a forma como Prodígio meteu o corpo e a alma no álbum, poucos rappers conseguem fazer. O Castelo bem construído da primeira música até à última, em termos de letras e beats, os nossos ouvidos estão bem servidos, é um produto para sentar com seis birras e apreciar bem nas calmas, sem nenhuma sensação de arrependimento.