O hype dita, na maioria das vezes, o que vamos andar a ouvir nos próximos tempos. Os artistas deixam-se levar por aquilo que acham que o público quer consumir, descurando as vontades da sua personalidade artística. Não é o que acontece com JAY.

João Ferreira é o seu nome mas é como JAY que nos dá a conhecer a música que nasce das suas experiências e talento. O hip hop entrou pela primeira vez na sua vida aos 11 anos. “Por volta dos 13 comecei a escrever as primeiras letras.”

Para si, a música é um puzzle que, antes de formar um todo, cada peça deve ser entendida e compreendida. Por isso, aos 13 anos, começou a explorar o mundo dos instrumentais, ganhando também um grande interesse pelos processos mais técnicos envolvidos, como a gravação ou mistura.

“Em 2007 comecei com gravações amadoras, algumas com instrumentais meus, outras com instrumentais de musicas já existentes.” Nessa alltura, com alguns amigos do Bairro 6 de Maio – que viu nascer o rapper Vado Más Ki Ás -, na Damaia (arredores de Lisboa), criou um grupo.

À moda da velha escola, o fruto das produções do grupo ia passando de mão em mão.

Com o passar do tempo, JAY continuou a trabalhar. “Fui escrevendo, fazendo beats, gravando algumas coisas que acabava por não lançar. Até que, durante o ano passado, decidi que já estava mais do que na altura de expor algum trabalho, daí ter lançado então o meu EP ensinARTE.”

Nesta fase inicial, este EP de apresentação oferece simplesmente um pouco dos seus pensamentos em cima de vibes de instrumentais diferentes (desde o trap ao jazz). O objetivo é também alicerçar a música com uma mensagem que se conecte com o seu recetor, “porque considero tanto o conteúdo das letras como a musicalidade dos instrumentais os factores mais importantes”.

“O título advém da primeira faixa do EP, com o mesmo nome. Esse tema foi dos primeiros a estar finalizado e, quando tive de pensar num nome para a faixa, decidi focar-me na última frase do refrão: “o objectivo é ensinar-te”. Aí surgiu a ideia de utilizar “ensinar-te” mas transformado em “ensinARTE”, como que “ensinar a Arte”. Quando comecei a decidir que temas fariam parte do EP – e porque o objetivo do mesmo era que cada tema apresentasse uma estética musical diferente, presente no Hip-Hop – achei que, fazia sentido que o próprio EP assumisse o nome de “ensinARTE”‘, explica-nos JAY.

A sua vibe surge do misto de sonoridades da sua playlist. Do Trap ao Jazz, JAY ouve de tudo. Dentro do movimento hip hop, as suas influências são Kendrick Lamar Eminem, J.Cole, Nas, Sam The Kid, Valete, e Phoenix RDC, não fosse ele bom filho da old school.

Dentro da produção, também gosta de variedade. “Admiro muito a musicalidade de J.U.S.T.I.C.E. League, a nível internacional, e Lhast, FRXH, entre outros a nível nacional”.

Para já, JAY promete ir lançando vários singles, para dar a conhecer melhor o seu trabalho e conquistar o público. Na promessa fica também vincada a intenção de continuar a explorar novas colaborações e sonoridades.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".