Segundo o artigo publicado no site da World Bank, “a indústria de turismo na África Subsaariana prepara-se para estimular maior crescimento económico no continente e dar emprego direto a 6.7 milhões de pessoas até 2021”.

O relatório de Turismo em África: Associar o turismo a um maior crescimento de melhores condições de vida refere que o turismo já era, direta ou indiretamente, responsável por um em cada vinte postos de trabalho na África Subsariana, em 2011, e é uma das poucas indústrias em que as mulheres estão bem representadas”.

Reunimos cinco pontos turísticos no continente africano, que vão te provar o porquê do turismo em África estar em ebulição.

Monumento da Renascença Africana (Senegal)

Trata-se de uma estátua de bronze desenhada por Pierre Goubiaby Atepa, e que está localizada no Senegal, propriamente em Dakar. O monumento simboliza os 50 anos de independência do país, comemorado a 4 de abril.

A estátua começou a ser construída a 3 de Abril de 2008 e encontra-se no topo de uma das duas colinas gémeas chamadas Collines des Mamelles.

A estátua retrata um casal com uma criança ao colo que a aponta em direção ao oceano atlântico.

O Monumento da Renascença Africana custou cerca de 27 milhões de dólares americanos e conta com 49 metros de altura, tendo mais 10 metros do que a estátua do Cristo Redentor localizada no Rio de Janeiro, Brasil.

Ilha Cousin (Ilhas Seychelles)

Para quem gosta de praias e águas cristalinas, África é o destino certo.

Cousin está localizada no grupo de Ilhas de Seychelles, no sudeste de África, que é um dos países que faz parte da lista dos mais abertos do continente africano. É uma das primeiras ilhas a se tornar reserva mundial de ilhas e mares. A dois quilómetros da costa de Praslin, Cousin é a segunda maior ilha de Seychelles.

Geologicamente, o seu terreno é composto por granito. A ilha inteira, incluindo 400 metros de água, pertencem ao Conselho Internacional de Preservação de Aves (BirdLife International) com objetivo de proteger uma espécie de ave endémica quase em fase de extinção.

Maletsunyane Falls (Lesoto)

As Quedas de Maletsunyane são uma autêntica obra da natureza. Uma cascata com cerca de 192 metros de altura que cria nuvens que podem ser vistas de muito longe. É considerada como a maior cascata do hemisfério sul e tem ao seu redor uma vista repleta de vegetação rica em componentes clorofilinos.

Localizada no Lesoto, na cidade de Semonkong, este monumento natural fica no rio Maletsunyane e cai de uma borda do basalto triássico-jurássico.

Área de Conservação de Ngorongoro (Tanzânia)

Ngorongoro é conhecida como a “Arca de Noé” da África Ocidental e é uma das maiores atrações da Tanzânia.

A cratera vulcânica profunda é a maior caldeira inundada e ininterrupta do mundo, com cerca 20 quilómetros de extensão, 300 metros quadrados de área e 600 metros de profundidade.

Neste ponto pode-se encontrar uma área de conservação que possui o mesmo nome, é uma divisão que compõe o distrito de Ngorongoro na região de Arusha..

Parque Nacional Gargantas do Rio Negro (Ilhas Maurícias)

As sua densidade florestal cobrem 2% da superfície das Ilhas Maurícias, que alberga muitas espécies de animais nativas da região.

É possível ver vegetação de vários tipos, animais selvagens, pombos cor de rosa e o famoso falcão Maurício. Este ponto também pode servir de alternativa para observar a Cascata de Chamarel, localizada na mesma região.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".